Após um tempão de espera, eis que a Amazon começa a vender no Brasil seus alto-falantes inteligentes Echo com a assistente pessoal Alexa em português. A empresa vinha dando sinais do lançamento desde março, quando iniciou testes com a assistente em nossa língua.

Falando inicialmente dos dispositivos, a Amazon terá três modelos no mercado brasileiro: Echo (que abre este post), Echo Dot e Echo Show 5 (que é um alto-falante inteligente com uma tela e equipado com uma câmera). Os produtos têm preços sugerido de R$ 699, R$ 349 e R$ 599, respectivamente. Durante a pré-venda, iniciada nesta quinta-feira (3), o Echo Dot tem preço promocional de R$ 249, enquanto o Echo Show 5 custará R$ 449. O Echo, apesar de constar no site, terá venda iniciada “em breve”.

De forma resumida, o Echo Dot é o menorzinho e mais barato. É possível conectar o alto-falante a outras caxias de som via Bluetooth ou com o conector de 3,5 mm. Já o Echo conta com um woofer de 3 polegadas com tecnologia Dolby — é possível conectar um smartphone a ele via Bluetooth para ouvir músicas.

Amazon Echo Dot
Echo Dot (3ª Geração): Smart Speaker com Alexa - Cor Preta
R$349

Por fim, tem o Echo Show 5, que conta com uma tela de 5,5 polegadas, câmera HD e um alto-falante de 4W. Por ter um display, a Amazon reforça a possibilidade de usá-lo, por exemplo, para acompanhar receitas passo a passo ou resultados de jogos de futebol.

Amazon Echo Show 5
Echo Show 5 - Smart Speaker com tela de 5,5" e Alexa - Cor Preta
R$599

A ideia toda desses itens é a interação com a assistente pessoal Alexa. Com ela, os usuários poderão realizar comandos de voz a esses aparelhos conectados à internet via Wi-Fi para perguntar sobre o tempo, ouvir notícias, criar alarmes, tocar músicas em seu serviço de streaming favorito, controlar sua casa inteligente, entre outras ações.

Amazon Echo DotAmazon Echo Dot. Crédito: Amazon

Em seu comunicado à imprensa, a Amazon dá a entender que só liberou agora os produtos e a Alexa falando português por uma questão regional. Dessa forma, usuários brasileiros terão já alguns aplicativos funcionando em sintonia com a assistente. Então, será possível, por exemplo, jogar o Show do Milhão (saudades da versão em CD-ROM), pedir um carro da Uber, ver registros de câmeras de segurança (caso você tenha em casa) ou mesmo cozinhar com a Rita Lobo.

A empresa parece ter um mínimo de consciência da estranheza que pode causar para alguns ter um microfone ou uma câmera na sua casa. Então, a Amazon diz que o usuário pode desligar o microfone e a câmera do dispositivo (no caso, o Echo Show 5) apertando um botão, além de contar um tampa para cobri-la.

Amazon Echo Show 5Amazon Echo Show 5. Crédito: Amazon

Ecossistema Alexa

Além dos seus produtos próprios, a Amazon também liberará a Alexa para uma série de aparelhos que foram sendo lançados durante o ano com suporte à assistente. Nesse período, empresas como LG, Sony, JBL, Bose, Intelbras, Positivo e Yamaha apresentaram dispositivos dos mais diversos tipos já compatíveis com a tecnologia de inteligência artificial da varejista.

Neste período, por exemplo, tivemos o lançamento das Smart TVs NanoCell, da LG, além da linha de casa inteligente da Positivo, que inclui tomadas e lâmpadas conectadas, para citar alguns dos produtos em que estivemos presente durante o anúncio.

O bacana desse lançamento é que a guerra das assistentes pessoais está oficialmente iniciada no mercado local. O Google já tem itens com o Google Assistente no Brasil desde abril, porém a marca ainda não trouxe os dispositivos Google Home ao mercado. A gigante das buscas, por ora, confia apenas em aparelhos de parceiros, como a JBL.

Com mais opções, só resta saber como será a adesão dos brasileiros a esses dispositivos. Nos EUA, os aparelhos de entrada tanto do Google (Google Home Mini) como da Amazon (Echo Dot) custam US$ 50 (cerca de R$ 207 no câmbio atual). Por aqui, o tíquete é um pouco maior, com a Amazon oferecendo um modelo, o Echo Dot, por R$ 249 por tempo limitado.

Sem contar que a graça desse tipo de aparelho inteligente envolve ter outros itens conectados para eles serem eventualmente controlados por voz. Então, as coisas talvez comecem a ficar mais interessantes com outros dispositivos, que não são lá muito baratos — a não ser que você ache ok pagar R$ 100 em uma lâmpada para poder controlá-la por voz

Já estou ansioso para saber como o público brasileiro vai utilizar os alto-falantes inteligentes. Nos EUA, já soubemos de casos de crianças usando a assistente para fazer a lição de casa, risadas malignas emitidas em dispositivos Echo do nada ou do envio involuntário de conversas para terceiros.

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.