A Amazon tem enfrentado protestos constantes contra seu polêmico software Rekognition, mas isso aparentemente não impede a empresa de testar a tecnologia de reconhecimento facial em seus vendedores.

O BuzzFeed News noticiou na quarta-feira (6) que um indivíduo no Vietnã alegou que, ao tentar criar um perfil de vendedor, a empresa o fez conceder acesso à webcam e a fornecer um clipe do seu rosto. Mais preocupante, no entanto, é que o indivíduo alegou que não conseguiu sair da janela e que, depois de obedecer ao pedido, ele não conseguiu localizar o vídeo em seu perfil.

Em uma captura de tela do suposto prompt, fornecida ao BuzzFeed News, o indivíduo foi orientado a dar à empresa acesso à sua webcam para que a Amazon pudesse “gravar um vídeo de cinco segundos do seu rosto” que seria criptografado. De acordo com o BuzzFeed News, a empresa não respondeu a algumas perguntas importantes sobre as possíveis implicações da ferramenta. Segundo a reportagem:

A Amazon se negou a explicar por que ou quando começou a pedir a alguns vendedores uma prova de identidade em vídeo, em que regiões ela solicita essa prova e o que ela faz com os vídeos de vendedores que grava. A gigante da tecnologia de Seattle também não disse se os vídeos são processados por sua tecnologia de reconhecimento facial Rekognition, se um vendedor pode remover a prova de identidade em vídeo dos servidores da Amazon e se ela atualizou ou não seus contratos de vendedor e políticas de privacidade para tratar da coleta e armazenamento de dados biométricos.

Contatada pelo Gizmodo, a Amazon, por meio de um porta-voz, disse em uma declaração por e-mail que a empresa “está sempre inovando para melhorar a experiência do vendedor”.

“Sempre experimentamos novas maneiras de verificar as informações que os vendedores nos fornecem, com o objetivo de proteger nossa loja de indivíduos mal-intencionados. As informações de identificação dos vendedores são armazenadas de maneira segura e usadas apenas para a verificação de identidade”, completou a companhia posteriormente.

A medida parece ser uma iniciativa para conter a criação de múltiplas contas de vendedor, o que a empresa não permite (embora permita que os vendedores solicitem uma isenção caso eles “tenham uma necessidade comercial legítima de operar em uma segunda conta”). A empresa exige a verificação de várias formas de identificação para estabelecer uma conta de vendedor. No entanto, como o BuzzFeed News apontou, os usuários podem supostamente contornar essa regra, fazendo com que outros criem uma conta legítima para eles, pelas quais eles então pagarão.

Dizer que a gestão da Amazon de sua tecnologia de reconhecimento facial tem sido problemática seria um elogio. Na semana passada mesmo, as próprias garantias da Amazon sobre a tecnologia foram minadas pela única agência policial cliente do Rekognition, o Gabinete do Xerife do Condado de Washington, no Oregon, que disse ao Gizmodo que “não estabelece e nem utiliza um limite de confiança”. Mesmo que pesquisadores e observadores independentes tenham manifestado sérias preocupações sobre a tecnologia e seus resultados questionáveis, a Amazon disse que, com relação ao trabalho policial, “nós orientamos os clientes a estabelecer um limite mais alto, de pelo menos 95% ou mais”.

Embora não esteja claro se a Amazon está usando o Rekognition para verificação de vendedores, ainda é preocupante que a empresa esteja coletando vídeos dos rostos das pessoas para fins desconhecidos. E qualquer incerteza sobre como a empresa está usando os dados biométricos dos vendedores certamente não parece, como a empresa disse, “melhorar a experiência”.

[BuzzFeed News]