Os rumores de que a estreia nacional das lojas de e-books da Amazon e do Google poderia acontecer ainda esse ano acabam de ganhar força.

Segundo o G1, a Amazon já fechou um acordo com Companhia das Letras, Globo Livros, Ediouro e DFD (responsável pelos livros digitais de Objetiva, Record, Rocco, Planeta, Sextante, L&PM e Novo Conceito).

Já o Google concluiu suas negociações com DLD e Globo Livros — enquanto a Companhia das Letras diz que “está em negociações bem avançadas” com a empresa.

Na estreia, as lojas não deverão contar com um número muito grande de títulos dessas editoras – o que é bem compreensível, já que o mercado de e-books no país ainda é muito incipiente.

A Companhia das Letras deve estrear na Amazon.com com mais de 500 títulos. Já a Globo Livros tem um catálogo digital maior: mil títulos, já disponíveis na iBookstore e na loja virtual da Livraria Cultura — pouco, se comparado ao total de 150 mil títulos existentes no acervo da editora. Claro, as lojas da Amazon e Google devem trazer seu acervo estrangeiro de e-books, então livro não vai faltar.

Além disso, há mais um indício da iminente chegada da Kindle Store no Brasil: o e-mail de confirmação enviado para autores e editoras recém-cadastradas no Kindle Direct Publishing, o programa de publicação próprio da loja virtual, agora inclui o endereço amazon.com.br — que será a URL da versão brasileira da Amazon. O e-mail foi revelado pelo escritor David Gaughran, que postou um screenshot da mensagem  em seu Twitter.

A Amazon está tentando iniciar sua operação brasileira desde o início do ano. Primeiro, ela precisou enfrentar a resistência das editoras nacionais — que, segundo fontes, estariam sendo pressionadas por uma das futuras concorrentes, a Saraiva. Depois, mudou de estratégia e tentou comprar a própria Saraiva e, posteriormente, o Submarino, para poder estrear por aqui. Paralelamente, a gigante do varejo também negociou um acordo com o MEC para distribuir obras em domínio público.

A estreia da loja parecia ter ficado, então, para 2013, já que, além da citada resistência das editoras, os problemas de logística também não foram solucionados. No entanto, começaram os rumores de que pelo menos a Kindle Store poderia estrear por aqui ainda esse ano – enquanto produtos físicos chegariam só no ano que vem. Esse e-mail parece dar mais força a esses rumores, como afirma o Digital Reader:

Pelo que sabemos, um memorando poderia estar circulando nos bastidores do KDP com novidades sobre o lançamento da nova Kindle Store nos próximos dias. Alguém pode ter se adiantado e adicionado o link para o novo site antes do que deveria.

Se a Amazon ainda não conseguiu lançar, suas futuras concorrentes no mercado brasileiro já estão se mexendo. A Apple trouxe a iBookstore para o país há pouco mais de um mês e a Livraria Cultura lançou o resultado de sua parceria com a canadense Kobo, que inclui a venda de e-readers e e-books, inclusive para dispositivos com Android e iOS. [G1The Digital Reader]

Foto: Zero2Cool_DE/Flickr