A Amazon e a editora Hachette ainda estão em negociações após uma disputa bastante pública sobre o preço de e-books. A varejista vem usando alguns truques sujos para ganhar a batalha, incluindo aumentar preços dos livros da Hachette, ou se recusar a fazer encomendas de sucessos da editora.

A jogada mais recente da Amazon vai além: o executivo David Naggar enviou uma carta a diversos autores da Hachette, propondo que eles fiquem com 100% do valor das vendas enquanto a disputa persiste. Isso parece algo bom para os escritores… no curto prazo.



A Hachette quer que a Amazon pague mais por cada livro; parte desse valor é repassada aos autores. Se as editoras não pressionarem por preços mais altos agora, fica ainda mais difícil cobrar isso no futuro – e remunerar os autores de acordo.

Afinal, a Amazon já domina a venda de 67% dos e-books nos EUA, e 64% da venda de livros físicos na internet. Você pode até receber 100% das vendas, mas deixando o preço ser decidido cada vez mais pela varejista – que quer baixá-lo tanto quanto possível.

Sobre as negociações paralisadas, Naggar coloca a culpa na editora:

Nós concordamos que os autores sofrem enquanto as negociações se arrastam, e estamos particularmente sensíveis ao efeito disso em autores novos e midlist [que não são best-sellers mas têm boas vendas]. Mas a apatia da Hachette e sua falta de vontade de negociar nos colocou nessa posição; a menos que a editora mude drasticamente seu ritmo de negociação, isso vai durar muito tempo.

Em seguida, ele expõe a proposta da Amazon para dar 100% do preço de venda diretamente aos autores, fazendo com que tanto a varejista como a Hachette percam todos os lucros em potencial até que elas cheguem a um acordo.

Mas parece que a Amazon ainda não fez essa proposta oficialmente aos autores – e nem vai, segundo Roxana Robinson, presidente da Authors Guild. “Isso parece ser uma solução de curto prazo que encoraja os autores a tomar partido contra seus editores”, diz ela ao New York Times. “Isso não tira os escritores desse problema – ainda estaremos envolvidos nele. Nossos livros estão no centro dessa disputa.”

A Amazon já admitiu que está provocando a Hachette até ela aceitar os termos da negociação. Receber 100% das vendas pode soar ótimo para escritores, mas a editora está neste cabo-de-guerra para proteger os seus interesses: garantir preços um pouco mais altos para seus livros, o que pode significar uma remuneração melhor para seus autores.

A carta só oferece um benefício de curto prazo para distrair da raiz do problema: a Amazon quer baixar o preço dos livros em geral a qualquer custo. [New York Times via GigaOm]

Foto por Noelas/Flickr