Amazon, uma empresa que fortaleceu seu nome acabando com impérios de livrarias físicas, está abrindo as portas da sua primeira livraria física nos EUA.

Na manhã desta terça-feira, em Seattle, nos EUA, a Amazon abriu o espaço em sua cidade natal. A livraria tem cerca de 5.000 livros: menos do que uma livraria convencional, porque a Amazon vai mostrar a capa dos livros, em vez de destacar a lateral para facilitar a busca por autor. Combine isso com o preço – o mesmo praticado no site da Amazon – e é difícil ver a Amazon ganhando algum dinheiro com isso.

amazon-books-2

Dito isso, a empresa vai selecionar os títulos que ficarão expostos com base nos dados coletados de seus milhões de consumidores, e, assim, vai encher as prateleiras com os livros mais populares. Também há um espaço para testar os e-readers Kindle e os tablets Fire, e acredito que ninguém tentará vender um smartphone Fire.

A Amazon é frequentemente apontada como uma das culpadas pelo fim das livrarias físicas, então é estranho ver essa mesma empresa abrir uma loja – mesmo com o uso do big data para seu inventário, é difícil imaginar a Amazon Books sendo lucrativa. Mas isso nunca impediu a Amazon de fazer nada, então mesmo que por enquanto a empresa diga que não tem planos de expandir a loja, nada impede que no futuro elas se espalhem por aí.