Amazon Prime vai aumentar preço da assinatura; veja os novos valores

O plano mensal da plataforma passará a custar R$ 14,90, antes eram R$ 9,90. Enquanto o anual sairá por R$ 119, anteriormente era R$ 89

amazon

Os assinantes da Amazon vão pagar um pouco mais caro pelos serviços no Brasil. A empresa anunciou nesta terça-feira (03) que a mensalidade do seu programa de benefícios Amazon Prime passará de R$ 9,90 para R$ 14,90, enquanto o plano anual de R$ 89 deve aumentar para R$ 119. 

Segundo o anúncio, para quem já assina o benefício, os preços passarão a valer a partir do dia 24 de junho, na data da próxima renovação de assinatura mensal ou anual. A empresa reforça que tanto os novos clientes que assinarem o plano anual quanto os membros mensais que mudarem para o anual até o dia 19 de maio, poderão garantir o preço atual de R$ 89.

Além disso, a empresa ressalta que esse é o primeiro reajuste desde 2019, quando o serviço foi lançado no Brasil. Além do streaming Amazon Prime Video, a assinatura permite ao usuário ter frete grátis nas compras online na Amazon sem valor mínimo e ofertas especiais no site da plataforma, além de acesso aos aplicativos Prime Reading, Prime Gaming e Amazon Music.

Por isso, quem quiser aproveitar o preço velho, a dica é assinar o plano anual até o dia 19 e pagar os R$ 89, o que equivale a 7,42 por mês. O serviço pode ser assinado por meio deste link: https://amzn.to/3KKHiql

Mas porque a Amazon aumentou o preço?

Segundo a Amazon, o aumento foi necessário devido aos recentes investimentos da empresa com o programa Amazon Prime, incluindo a expansão de benefícios aos membros e aumento de custos operacionais. “Reforçamos o compromisso de continuar trazendo novidades, melhorar o programa e apresentar novas maneiras de tornar a vida dos membros ainda melhor”, comunicou.

Além de aumentar a disponibilidade do frete rápido e grátis no Brasil, a empresa alega que continua expandindo o catálogo do serviço. Atribuiu o aumento no preço aos investimentos feitos em conteúdos originais, citando títulos internacionais como “The Boys”, “A Roda do Tempo”, “Um Príncipe em Nova York 2”, além de produções brasileiras como “Dom”, “Manhãs de Setembro” e “Soltos em Floripa”.

A Amazon ainda citou a série “O Senhor dos Anéis: os Anéis de Poder”, que está prevista para estrear em setembro de 2022 e custou mais de US$ 460 milhões para a companhia, uma das produções para streaming mais caras da história. Além das séries e filmes, a plataforma também entrou na disputa pelo mercado esportivo com a exibição de jogos da Copa do Brasil, além da contratação de Tiago Leifert e Casimiro. 

“A Amazon continua a investir no Amazon Prime e, nos últimos anos, adicionamos milhões de produtos disponíveis ao programa, todos com frete rápido, grátis e ilimitado, sem valor mínimo de compra; trouxemos ofertas e descontos exclusivos, além de mais entretenimento digital de alta qualidade, incluindo filmes, séries, músicas, jogos e eBooks”, diz a empresa. 

Em fevereiro, a Amazon já havia aumentado os valores do Prime nos Estados Unidos, sob justificativas semelhantes. Por lá, o serviço custa agora US$15 mensais (contra US$13, anteriormente) ou US$140 anuais (contra US$120). Já aqui no Brasil, a principal concorrente da Amazon no universo do streaming, a Netflix, também promoveu aumentos nas suas mensalidades há menos de um ano.

 

Sair da versão mobile