A Amazon já está no Brasil há um tempo e foi introduzindo seus serviços por aqui no sapatinho. Primeiro, o Kindle em 2014. Depois, livros físicos, seguido do marketplace, que permite que várias empresas ou indivíduos vendam itens na plataforma da empresa. A partir desta terça-feira (22), a gigante do varejo vai passar a fazer vendas diretas e entregas, mas o que isso significa?

A Amazon vai passar a competir em pé de igualdade com boa parte das varejistas que temos atuando no país. Isso significa que a companhia vai ter um estoque de itens (fora os livros que já estão disponíveis há um tempo) e usar um sistema de logística para entregar aos consumidores. Nos EUA, a varejista é conhecida justamente por isso: conseguir vender produtos a preços agressivos e com entrega rápida — em alguns casos, até no mesmo dia.

Polícia nos EUA arma arapuca para pegar ladrões de caixas da Amazon
Amazon está distribuindo “coletes tecnológicos” para evitar atropelamentos por robôs em seus armazéns

A empresa promete por aqui realizar uma entrega expressa, que estará disponível nas regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Rio de Janeiro. Ao comprar um produto vendido pela Amazon, a plataforma fará sugestões do tipo: “compre este item em até 8 horas e você receberá até 31 de janeiro”. Em alguns casos, é prometido entregas em até dois dias.

Neste início de operação, a Amazon vai oferecer 20 milhões de produtos de 12 categorias (brinquedos, eletrônicos, beleza, cuidados pessoais, entre outros). A boa notícia é que em alguns casos vai rolar frete grátis:

Compras de livros e videogames a partir de R$ 99
Compras de outras categorias a partir de R$ 149

No que diz respeito a condições de pagamento, a empresa recentemente passou a oferecer pagamento a opção de boleto bancário, além de permitir o parcelamento em até 10x sem juros no cartão de crédito.

Para atender a demanda, a Amazon montou um centro de distribuição gigante em Cajamar (SP) que tem 47 mil metros quadrados, o que equivale a 10 campos de futebol.

Crédito: Amazon

Competição acirrada

Durante a tarde de segunda-feira (21), um relatório do banco BTG já dava conta do início da operação da venda direta no Brasil. Só a divulgação do documento fez com que as ações das principais varejistas brasileiros (B2W, Magazine Luiza e Via Varejo) caíssem. Mesmo assim, o banco diz que o crescimento da Amazon não deve ser tão grande inicialmente, pois essas empresas contam com um “ecossistema completo” no país.

Estou curioso para ver o serviço pós-venda da Amazon por aqui. A empresa costuma devolver produtos sem muita burocracia e com reembolso rápido. Se houver uma operação sólida neste sentido, isso pode ser um grande diferencial nesta nova operação.

O início da venda direta de produtos pela Amazon já era esperada há um tempo e deve dar uma boa chacoalhada no mercado brasileiro. Confesso que estou ansioso para saber como será a Black Friday e a briga pelos melhores preços durante a grande data do varejo brasileiro. Que comecem os jogos.

[UOL Tecnologia e TechTudo]