O julgamento de Amber Heard contra o ex-marido, Johnny Depp, continua. Durante uma das sessões, foi revelado que Jason Momoa insistiu que ela continuasse em “Aquaman 2”. Apesar de ter sido alvo de uma petição para deixar o elenco do longa, Heard foi apoiada pelo ator. 

O fato foi confirmado pela ex-produtora de cinema Kathryn Arnold, que hoje atua como consultora especializada em Hollywood. Ela fez essa declaração durante o julgamento do caso de Depp e Heard na última segunda-feira (23), segundo o jornal Daily Mail.

Atuando como testemunha da defesa da atriz, Arnold apontou que “Aquaman” deveria ser o momento de Amber Heard, mas a oportunidade foi arruinada após as acusações feitas por Depp. 

Segundo Kathryn, o processo de Deep e “a campanha difamatória nas redes sociais para remover Amber de Aquaman”, afetaram diretamente a carreira da atriz. “Mesmo as coisas em que ela queria trabalhar não estão mais disponíveis para ela”, contou.

Com isso, Amber Heard quase foi cortada completamente de “Aquaman 2”, disse Arnold. O que a manteve no filme foi o apoio de Momoa, que interpreta o super-herói principal, e do diretor James Wan, que “estavam comprometidos com ela” e “estavam irredutíveis quanto a ela estar no filme”.

A produtora reforçou o quanto a campanha contra Amber influenciou em sua carreira. “No público, tem sido muito negativo. Na indústria, eles gostam do trabalho dela, mas não podem trabalhar com ela agora. Porque toda vez que o nome dela é mencionado, a negatividade se acende novamente”, explicou.

Arnold também afirmou no tribunal que a primeira versão de “Aquaman 2” trazia a personagem de Heard com “um arco romântico forte o filme inteiro e algumas ótimas sequências de ação”. No entanto, quando a atriz chegou ao set de filmagem, após meses treinando cinco horas por dia para encarnar Mera, ela teria descoberto por uma figurinista que seu papel havia sido “diminuído” e que suas cenas de ação foram “cortadas”. Arnold ainda destacou que Heard deveria ter conseguido um salário de US$ 6 milhões, e não de US$ 2 milhões, pela sequência. 

Entenda o caso

O processo é consequência de um artigo publicado por Heard em 2018 no jornal The Washington Post, em que afirmou ter sobrevivido ao abuso doméstico. Desde então, Depp insiste que nunca abusou de Heard, e que ele, sim, foi vítima de abuso.

Embora Depp não tenha sido citado no artigo, ele alega ter impactado negativamente sua carreira. Com isso, o ator abriu um processo contra sua ex-mulher no valor de US$ 50 milhões. Heard contra processou o ator por US$ 100 milhões, argumentando que Depp a difamou ao chamá-la de mentirosa.