Este é um daqueles rumores aparentemente eternos, como o do Google Drive — e 2012 consolida mais e mais a sua fama. AMD e ARM juntas, lutando lado a lado para fazer florescer seus processadores e, com isso, subir ainda mais o clima de rivalidade com a Intel. Parece ficção? Pois aconteceu faz pouco. Agora a coisa ficou séria!

Não só AMD e ARM. Estão na jogada, também, Imagination Technologies, MediaTek e Texas Instruments. Juntas elas formam a HSA Foundation, uma organização sem fins lucrativos que visa promover a Arquitetura de Sistemas Heterogênea (HSA, na sigla em inglês).

A HSA é, em resumo, o caminho alternativo ao que a Intel faz há tanto tempo com a Lei de Moore e a sofisticação dos transistores. Em vez de apelar para força bruta, AMD, ARM e suas parcerias buscam resultados idênticos ou até melhores com paralelismo. Na prática isso significa utilizar processadores tidos como auxiliares em aplicações gerais. O exemplo mais comum para entender isso são as placas de vídeo; com linguagens como OpenCL e CUDA (essa proprietária da NVIDIA), dá para usar o poder descomunal das placas de vídeo modernas em aplicativos que não lidam diretamente com gráficos. O resultado costuma ser impressionante.

A AMD já aposta nisso com suas APUs, mas na HSA a pegada é um pouco diferente. A fundação visa criar um padrão aberto, fácil de assimilar, multiplataforma e que alcance computadores e dispositivos móveis. Os planos são tão ambiciosos quanto a união de forças entre AMD e ARM e, se tudo certo, isso deve chacoalhar a computação doméstica por volta de 2014, quando se espera que as primeiras aplicações embasadas pela HSA Foundation deem as caras. [Engadget]