O Departamento de Saúde dos Estados Unidos emitiu um alerta de saúde nesta manhã para cidadãos americanos na China depois que um funcionário do governo americano foi diagnosticado com uma lesão cerebral traumática leve. O trabalhador, que não teve seu nome revelado, relatou “sensações sutis e vagas, mas anormais, de som e pressão”.

• Americanos sofrem sintomas de trauma cerebral na embaixada em Cuba, mas razões são misteriosas
• O complexo legado das mulheres cientistas da Primeira Guerra Mundial

O funcionário do governo dos EUA foi designado para o consulado americano em Guangzhou, China, e começou a sentir os sintomas do final de 2017 até abril de 2018, de acordo com o Departamento de Estado dos EUA.

“O funcionário foi enviado para os Estados Unidos para avaliação adicional. Em 18 de maio de 2018, a embaixada descobriu que os resultados clínicos dessa avaliação eram compatíveis com lesões cerebrais traumáticas leves (MTBI, na sigla em inglês)”, disse ao Gizmodo, por email, Jinnie Lee, porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Pequim.

“O governo chinês nos garantiu que eles também estão investigando e tomando as medidas apropriadas”, continuou Lee.

A notícia vem na sequência de lesões misteriosas sofridas por funcionários do governo dos EUA em Cuba, que se pensava serem um “ataque sônico” ou talvez um equipamento de vigilância com defeito. Pelo menos 22 diplomatas americanos em Havana podem ter sido alvos de “uma arma sonora avançada que funcionava fora do alcance do som audível”, embora isso ainda seja apenas uma teoria. Ainda não se sabe se o trabalhador ferido na China foi alvo de algum desses dispositivos, apesar de relatar sintomas semelhantes aos dos diplomatas em Cuba.

O Consulado dos EUA em Guangzhou diz que não houve outros casos relatados de sons estranhos sendo ouvidos por autoridades americanas, mas está levando a questão a sério.

“Se você tiver preocupações sobre quaisquer sintomas ou problemas médicos que surgiram durante ou depois de uma estadia na China, consulte um profissional de saúde”, disse o Departamento de Estado em um comunicado.

E o Departamento de Estado adverte que, se você sentir alguma coisa muito estranha acontecendo em sua cabeça, simplesmente dê o fora dali. Não tente descobrir de onde os sons estranhos estão vindo.

“Enquanto estiver na China, se você sentir algum fenômeno auditivo ou sensorial agudo incomum acompanhado de sons incomuns ou ruídos penetrantes, não tente localizar sua fonte. Em vez disso, vá para um local onde os sons não estejam presentes”, disse o comunicado.

Depois dos ferimentos dos 22 funcionários da embaixada em Cuba, o Departamento de Estado dos EUA retirou uma parte do pessoal de Havana. Os trabalhadores em Cuba sofreram “perda auditiva, tontura, zumbido, problemas de equilíbrio, dificuldades visuais, dores de cabeça, fadiga, problemas cognitivos e dificuldades para dormir”. O governo cubano negou estar por trás dos ataques, mas ainda não sabemos qual foi a fonte do barulho. Nem sabemos se foi um ataque financiado pelo Estado, seja da Cuba ou de outro país.

“Nada disso tem uma explicação razoável”, disse Fulton Armstrong, ex-funcionário da CIA, à Associated Press no ano passado, depois que os diplomatas em Cuba ficaram doentes. “É apenas mistério atrás de mistério.”

Por enquanto, parece que a lesão na China continuará sendo um mistério também.

[U.S. State Department]

Imagem do topo: Skyline da cidade de  Guangzhou. Crédito: Getty Images