Quando eletrônicos se tornam perigosos a ponto de poderem explodir, o ideal é você não carregá-lo por aí – muito menos em voos. A Anac publicou nesta quarta-feira (28) uma nota orientando que passageiros não levem para qualquer viagem de avião o MacBook Pro de 15 polegadas.

Os modelos fabricados entre setembro de 2015 e fevereiro de 2017 pela Apple possuem um problema na bateria que pode fazê-los explodir. Conforme a nota da Anac:



Os equipamentos defeituosos não devem ser transportados como bagagem de mão nem despachados no porão da aeronave, dados os riscos que representam para as operações aéreas. Os passageiros que embarcarem com o dispositivo inapropriadamente serão orientados pelos profissionais das companhias aéreas a manterem o dispositivo desligado e a não recarregarem o aparelho durante o voo. A recomendação é válida até que a fabricante realize a substituição dos modelos defeituosos.

A mesma medida foi tomada por outras agências de aviação, como a americana, Federal Administration Aviation (FAA), e a europeia, European Union Aviation Safety Agency (EASA)

Não é a primeira vez que há restrições a eletrônicos em voos. Um dos casos mais recentes foi o do Galaxy Note 7, que após diversos relatos de fogo e explosão, foi proibido em voos ao redor do mundo, inclusive no Brasil.

A Apple já iniciou um programa de recall dos MacBook Pro defeituosos – a chamada começou em junho. “Se seu MacBook Pro for elegível, por favor pare de usá-lo e siga as instruções para ter a bateria do seu computador substituída”, alerta a empresa.

Para saber se sua máquina foi impactada, você pode entrar no site da Apple e checar o número de série do seu MacBook Pro. Neste post temos instruções detalhadas para obter essas informações.