O motor de buscas que aparece na barra de pesquisa do Android e no Chrome poderá ser escolhido pelo usuário na hora de configurar o celular. O Google anunciou a medida para cumprir com as regras impostas pelo órgão regulador da União Europeia, que multou a companhia em € 4,3 bilhões (cerca de R$ 19,2 bilhões) por abuso de sua posição dominante no mercado de smartphones.

Daqui alguns meses, os celulares Android fabricados na Europa exibirão uma tela de escolha com diferentes motores de busca.



Na imagem divulgada pela companhia, aparecem quatro opções: Qwant, Ecosia, Google e Yahoo. As duas primeiras são soluções locais — o Qwant é francês e tem grande foco em privacidade, enquanto o Ecosia é alemão e doa parte de sua receita excedente para organizações sem fins lucrativos que se concentram em reflorestamento e conservação do meio ambiente.

Menu de opções com motores de busca no Android

Porém, as opções irão variar de país para país. As alternativas serão selecionadas por meio de um processo de “licitação”, em que as empresas de buscas irão dizer ao Google o quanto estão dispostas a pagar quando um usuário escolher utilizar o seu motor. As três companhias que pagarem melhor serão exibidas para os usuários – ou seja, o Google ganhará uma grana dessas empresas menores.

As ofertas poderão ser enviadas até o dia 13 de setembro e as listas finais serão anunciadas no dia 31 de outubro. A telinha de opções, no entanto, só deve aparecer no começo de 2020.

A decisão europeia é muito parecida com o que aconteceu com a Microsoft, quando o órgão antitruste decidiu que a empresa deveria oferecer escolhas além do Internet Explorer como o navegador padrão do Windows já na instalação do sistema operacional.