O vídeo é da versão de iPhone, mas ele não mudou. Eu expliquei o que era o Anomaly antes e vou me copiar:

Há versões para PC, Mac e Xbox Live, mas quem o traduziu para o tablet fez um trabalho brilhante. O jogo tem um roteiro de ficção científica qualquer do tipo “aliens invadiram uma cidade, mate todos eles” e funciona como um Tower Defense ao contrário: use o dinheiro para comprar tropinhas e andar pelas ruas das cidades matando as torres de defesa do inimigo. Dinheiro dá direito a mais tropas e upgrades, e de tempos em tempos aparecem alguns power-ups para ajudar na tarefa. O vídeo acima dá uma ideia de como é a coisa.

Por que Anomaly funciona lindamente no iPad? Os botões são gigantes e posicionados nos cantos da tela. Eles estão sempre ao seu alcance e é impossível se confundir. Não há submenus, direcionais virtuais, não é preciso ficar tocando na tela para movimentar a câmera ou mudar a rota (a ação para quando se faz isso). Ao longo de suas 15 fases e do posterior viciante modo sobrevivência, Anomaly é um exercício de clareza e de pureza do gênero. Porque o mais importante é que ele é um jogo bastante limitado.

Nos primórdios dos jogos de estratégia em tempo real (falo de Dune 2 e coisas parecidas), esse gênero primava pela estratégia acima de basicamente qualquer coisa. A ideia é que, ao ver o mapa, você crie um plano de quais prédios construir primeiro, quais áreas guardar, qual o tamanho da tropa e quais unidades você vai construir até atacar, quanto você vai desviar do caminho principal para ganhar recursos (e arriscar unidades), quando usar os recursos extras, etc etc. Boa parte dessas decisões pode ser tomada no início da fase, na fase de elaboração do plano, do grego estrategia.

Na página do jogo no Market está escrito que é necessário apenas Android 2.2, e todos os aparelhos que eu já testei estavam listados como “compatíveis” (até o Optimus One!), apesar de haver gente reclamando ali ou no AppBrain que ele não funciona em alguns Androids como o Defy. Aparentemente há um problema que depois de baixar o .apk é preciso caçar manualmente no SD

Honestamente acho que o jogo faz mais sentido em um tablet e é uma ótima adição a biblioteca de qualquer Xoom, Transformer ou Galaxy Tab, mas em smartphones de tela maior a coisa deve ir muito bem também. Por enquanto ele está com uma nota meio dividida no Android Market, entre 5 estrelas de quem conseguiu jogar e uma para quem teve problemas com o instalador, já que o arquivo é bem gigantesco (há uma incompatibilidade com o Galaxy Nexus, aparentemente). A 11bit já atualizou o instalador e parece que não há problemas agora – qualquer bug é só falar com os caras na página deles do Facebook, que eles respondem.

[Android Market via Android Life]