O iPhone 5S foi lançado no ano passado como o primeiro smartphone de 64 bits do mundo, e, quase um ano depois, a HTC apresentou o primeiro Android do mundo dos 64 bits. Mas vamos com calma: isso não significa necessariamente que ele é melhor do que os outros. Muito pelo contrário.

O HTC Desire 510 usa um chip intermediário da Qualcomm, o Snapdragon 410, que não chega perto do poderoso Snapdragon 805, o SoC topo de linha da fabricante que tem 32 bits. O 410 usa quatro CPUs Cortex A53 a 1,2 GHz, com 1GB de RAM e conexão LTE.



O Desire 510 ainda tem uma tela de 4,7 polegadas com resolução 854×480 pixels, câmera de 5MP, 8GB de armazenamento (expansível via microSD) e roda o Android 4.4 Ou seja, tirando o fato de ter um processador de 64 bits, ele não tem nada de muito especial, e se encaixa na fatia intermediária do mercado de Androids.

E se por dentro o Desire 510 não surpreende, seu software também não se aproveita do SoC. Isso porque ele ainda roda um sistema operacional desenvolvido para 32 bits – o Android só se adaptará ao mundo dos 64 bits com o lançamento do Android L, previsto para o fim do ano.

O HTC Desire 510 ainda não tem data certa de lançamento, e sua disponibilidade foi confirmada para Europa, Ásia e Estados Unidos. Como a HTC não lança mais dispositivos no Brasil, não será esse o primeiro Android 64 bits do mercado nacional – para isso, esperaremos que outras fabricantes também embarquem nesse mundo. [ArsTechnica]