A Apple lançou recentemente seu recurso App Tracking Transparency (“Transparência do Rastreamento de Apps”) com o iOS 14.5, que permite aos usuários decidir se os aplicativos podem rastrear suas atividades para publicidade direcionada. E muitos usuários parecem preferir deixar o rastreamento de aplicativos desativado. Apenas 12% dos usuários do iPhone no mundo concordaram em deixar o rastreamento ativado após atualizar seu dispositivo, de acordo com os dados mais recentes da Flurry, empresa de análise de dados de propriedade da Verizon.

Essa é uma má notícia para empresas como Facebook, que vendem segmentação para anunciantes a partir da coleta de dados do usuário. Com o iOS 14.5, se uma pessoa tiver habilitado o pedido de permissão para rastrear aplicativos, sempre que ela baixar ou atualizar um app, a ferramenta terá que pedir permissão antes de rastrear a atividade. E está claro que a maioria dos usuários não quer isso.

Quem quiser desativar o rastreamento por completo sem precisar rejeitar as permissões de cada aplicativo individualmente pode desabilitar a opção “Permitir que os aplicativos solicitem rastreamento” nas configurações de privacidade do iPhone. Desde a atualização lançada em 26 de abril, os dados da Flurry mostram que, em média, cerca de 3% dos usuários iOS nos Estados Unidos e 5% dos usuários iOS internacionais restringiram o rastreamento de aplicativos.

A Flurry baseou suas descobertas em uma amostra de 2,5 milhões de usuários ativos móveis diários com iOS 14.5 nos Estados Unidos e uma amostra de 5,3 milhões desses usuários em todo o mundo. De acordo com a empresa, sua ferramenta de análise está instalada em mais de 1 milhão de aplicativos móveis e agrega dados de cerca de 2 bilhões de dispositivos por mês.

Como oponente declarado do novo recurso da Apple, o Facebook lançou uma campanha abrangente para convencer os usuários de que essas medidas de privacidade são, na verdade, uma coisa ruim. A gigante das redes sociais publicou vários anúncios do tamanho de uma página inteira argumentando que o recurso da Apple vai acabar com as pequenas empresas que dependem de seus serviços de segmentação de anúncios e alertando que muitos sites gratuitos podem ter que começar a cobrar assinaturas ou oferecer compras dentro do aplicativo. Outras empresas de tecnologia como Snapchat, Google e Twitter também disseram que, se a maioria dos usuários decidir abrir mão do rastreamento de aplicativos, isso provavelmente afetará seus resultados financeiros.

Assine a newsletter do Gizmodo

Esses dados são apenas nosso primeiro vislumbre da resposta dos usuários. O iOS 14.5 foi lançado há pouco menos de duas semanas e, com o tempo, provavelmente iremos compreender melhor o número médio de usuários que optam ou não pelo rastreamento de aplicativos. Mas uma coisa está absolutamente clara: as pessoas valorizam sua privacidade. E se isso significa perder alguns anúncios personalizados, bem, muitas pessoas parecem felizes em fazer esse sacrifício.