A tecnologia para rastreamento de contatos será integrada ao app Coronavírus-SUS, do Ministério da Saúde. Desta forma, o app permitirá que pessoas sejam notificadas caso tenham entrado em contato com alguém infectado nos últimos 14 dias. A solução, anunciada pelo governo brasileiro nesta sexta-feira (31), utiliza tecnologia desenvolvida em conjunto por Google e Apple.

Para funcionar é preciso que a pessoa infectada também tenha o aplicativo instalado no celular. É por meio do app que os cidadãos informam se estiveram doentes – os dados não ficam públicos e ninguém vai saber exatamente as pessoas que tiveram COVID-19.

A ferramenta já está disponível na última atualização do aplicativo na Play Store, loja de aplicativos do Android. O Ministério da Saúde diz que a novidade chega para iPhones em breve, em atualização que será disponibilizada “nos próximos dias” na App Store do iOS.

O comunicado do Ministério da Saúde diz que a tecnologia API Exposure Notification, desenvolvida em conjunto por Apple e Google, já está sendo utilizada na Alemanha, Itália e Uruguai. A pasta destaca que ainda é necessário manter todas as recomendações de distanciamento social e hábitos de proteção e higiene, como o uso de máscaras e lavagem constante das mãos.

Como funciona

A tecnologia de rastreio de contatos proposta utiliza o Bluetooth do smartphone para determinar a localização de uma pessoa e com quem ela esteve em contato. É feita uma varredura com armazenamento dos registros de smartphones que estiveram a um raio de 1,5 a 2 metros e pelo período de 5 minutos.

Para garantir a privacidade, é atribuído uma identificação aleatória para os aparelhos. Não são coletadas informações pessoais como nome, CPF ou número de telefone, nem são armazenados dados de geolocalização como o do GPS.

Se alguém entrou em contato com uma pessoa que teve COVID-19, a tecnologia avisará aos usuários que foram expostos e dará mais informações sobre o que fazer a seguir.

As pessoas que derem positivo para COVID-19 precisam inserir no app Coronavirus-SUS, de forma voluntária e anônima, a validação do seu exame (PCR ou sorológico) positivo. Haverá um token emit. do pelo Ministério da Saúde para fazer essa checagem

Para evitar informações falsas, antes de gerar o token, o Ministério da Saúde fará o cruzamento entre o exame informado pela pessoa e os registros integrados da plataforma de vigilância (e-SUS Notifica) e da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), ambos integrados e que reúnem informações dos pacientes com Covid-19 no Brasil.

Somente o Ministério da Saúde enviará as notificações de contatos e, se uma pessoa recebê-la, verá um informe de que teve possível contato com alguém que testou positivo para COVID-19 nas últimas horas. Essa notificação vai alertar que trata-se apenas de uma medida de prevenção e que não necessariamente o usuário está infectado.

A ideia é para que as pessoas fiquem atentas aos sintomas e caso apresente febre, tosse, dor de garganta e/ou coriza, com ou sem falta de ar ou outros sintomas nos próximos 14 dias, deve procurar o serviço de saúde mais próximo.