A Apple removeu o AppGrátis, que ajudava a descobrir novos apps, da AppStore, alegando que ele viola as as regras da loja ao promover outros apps e fazer marketing direto.

O AppGrátis promovia apps pagos oferecendo um deles de graça por dia e, segundo o seu blog oficial, tinha 10 milhões de usuários. Ao AllThingsD, a Apple disse que o AppGrátis violou duas cláusulas da AppStore: a 2.25 e a 5.6.

  • 2.25 Apps que mostram Apps diferentes dos que você tem para comprar ou em promoção de forma similar ou para confundir com a App Store vão ser rejeitados.
  • 5.6 Apps não podem usar notificações push para enviar propaganda, promoções ou qualquer forma de marketing direto.

E o AppGrátis fazia as duas coisas. Mas era uma tragédia anunciada: como escreveu John Gruber em outubro do ano passado, a Apple mudou o guia de desenvolvedores adicionando as cláusulas que colocam os apps de promoção de outros apps em situação complicada. O que é ruim para o usuário, já que esses apps avisam com maior frequência do que a App Store quais são os apps em promoção, aqueles que tiveram corte no preço ou até mesmo ficaram de graça.

A exclusão do AppGrátis – a primeira vítima da nova cláusula – é um sinal claro de que o mesmo deve acontecer com outras plataformas parecidas e úteis: não se espante se AppAdvice, AppShopper e outros sumam em breve. [AllThingsD]