Lá vamos nós de novo: o último evento da Apple foi há apenas um mês, mas nesta terça-feira (13), a empresa promete revelar uma nova leva de dispositivos. Desta vez, parece que vamos conseguir o que todos estavam esperando: novos iPhones.

Sabíamos que os iPhones 12 (sim, no plural) chegariam mais tarde do que o normal. A própria Apple confirmou essa informação durante a divulgação dos lucros trimestrais, em julho, por conta da pandemia do COVID-19, que atrasou o cronograma da companhia. Mas agora que já conhecemos os novos Apple Watches e iPads, a grande estrela de amanhã deve mesmo ser o iPhone.

É perfeitamente possível que a Apple guarde o iPhone 12, ou seja lá como irá se chamar, para outro evento – rumores apontam que a empresa fará um último keynote em novembro, quando muito provavelmente veremos o primeiro Mac com Apple Silicon. Ao menos é o que estamos apostando que irá acontecer.

Em todo caso, tudo indica que os novos iPhones farão sua estreia nesta terça-feira. Mas eles não devem estar sozinhos, e aqui está tudo o que a Apple pode anunciar.

Quando e onde acompanhar o evento da Apple

Como de costume, a Apple vai transmitir online seu evento de lançamento do iPhone 12. O streaming começa a partir das 14h, pelo horário de Brasília, desta terça-feira, 13 de outubro. É muito provável que não seja uma transmissão ao vivo, mas sim um conteúdo totalmente pré-gravado e editado, como aconteceu no último evento de iPad e Apple Watch.

Quem tem um dispositivo Apple, pode acompanhar a transmissão diretamente pelo site da empresa. A única exigência é que o iPhone, iPad ou iPod touch rodem o Safari no iOS 10 ou superior, ou o Mac rode o Safari no macOS Sierra 10.12 ou superior. Pela Apple TV, a mesma coisa: é só ter a versão mais recente do tvOS instalada.

Para usuários de PC, é possível usar o mesmo link para assistir a keynote no Microsoft Edge, no Windows 10, ou usando versões mais recentes do Chrome ou Firefox.

E ah, a keynote também será transmitida pelo canal da Apple no YouTube:

Finalmente os iPhones 12 – e com 5G

O slogan atrevido “Hi, Speed” (“Olá, Velocidade”, na tradução livre, ou um trocadilho com “high speed”, que quer dizer “alta velocidade”) no convite do evento da Apple é uma possível referência ao 5G e às velocidades mais rápidas prometidas pelas redes móveis de próxima geração. Se elas entregam ou não o que prometem, aí já é outra história. É também uma referência ao processador A14 Bionic que deve ser incluído nos iPhones deste ano.

Todos os modelos devem incluir um modem 5G, mas as versões Pro devem ser compatíveis com um espectro mais amplo de 5G. E todos os dispositivos devem vir equipados com telas OLED, abandonando de vez o painel de LED dos iPhones atuais mais baratos.

Há rumores de que a linha do iPhone 12 inclui não dois, não três, mas quatro novos telefones. E um deles deve ser uma versão mini. Não como o iPhone SE deste ano, que parecia ser um telefone pequeno, mas na verdade era do tamanho de um iPhone 8 – um telefone de tamanho normal com uma tela minúscula. O iPhone 12 mini deve contar com uma tela de 5,4 polegadas e ser parecido com seus irmãos maiores, incluindo Face ID e design achatado com lados quadrados (semelhante aos iPads mais recentes).

Um iPhone 12 Pro Max enorme de 6,7 polegadas também deve entrar na linha, embora rumores recentes sugiram que o modelo pode ser lançado somente em novembro. Haverá ainda dois modelos de iPhones 12 de 6,1 polegadas: uma versão Pro, com corpo de aço inoxidável e sistema de câmera de lente tripla (e sensor LiDAR), e um iPhone 12 mais barato, com corpo de alumínio e câmeras de lente dupla.

iPhone 11. Imagem: Raul Marrero/GizmodoMais uma vez, os novos iPhones devem ter as câmeras traseiras como principal diferenciação entre si. Imagem: Raul Marrero/Gizmodo

Notavelmente, um iPhone de 5,7 polegadas semelhante ao atual iPhone 11 Pro não estará mais disponível, então você terá que aumentar ou diminuir o tamanho. Não haverá mais um meio termo, já que o iPhone 12 Pro será um aparelho com proporções maiores.

Especula-se que o preço dos novos iPhones comece em US$ 700, para o modelo mini, podendo chegar até US$ 1.150, para o 12 Pro Max.

AirPods, agora em versão supra-auricular

A Apple se contentou em deixar sua subsidiária Beats dominar o mercado de fones de ouvido. Mas depois de lançar várias iterações bem-sucedidas dos AirPods tradicionais, a empresa se prepara para um passo além com os supostos AirPods Studio, uma versão supra-auricular (ou seja, que cobre toda a orelha) do acessório. Os fones com cancelamento de ruído serão concorrentes diretos dos modelos da Bose e Sony, e deve oferecer a mesma integração perfeita com o iPhone dos AirPods atuais.

Um forte indício de que isso vai acontecer é que, recentemente, a Apple removeu todos os fones de ouvido de terceiros de suas lojas online e físicas. Então tudo leva a crer que a companhia vai investir em tecnologia própria para suprir essa remoção.

Um HomePod menor e mais barato

Rumores de um HomePod menor têm ganhado força nos últimos dias, e parece quase certo que a Apple irá reiniciar sua linha de alto-falantes inteligentes com uma versão de US$ 100 (R$ 550, na conversão direta) chamada HomePod Mini.

Apple Home PodImagem: Adam Clark Estes/Gizmodo

O novo HomePod deve ter um terço do tamanho do modelo atual, então faz sentido que seu preço também seja um terço de seu antecessor, que custava US$ 300 (1.660). Como você pode comprar um Nest mini com Google Assistente e um Echo mini com Alexa pela metade do preço, e a Siri ainda tem dificuldades até com as tarefas básicas, não está claro como a Apple vai se diferenciar da concorrência.

AirPower, o retorno dos que não foram

Um novo relatório indica que a Apple possivelmente está planejando lançar bases de carregamento magnéticas junto com o iPhone 12: uma que pode carregar um único dispositivo e outra que pode carregar dois. Isso soa familiar? Sim, por conta do AirPower, mas a empresa deve trocar o nome do acessório por MagSafe Charger, para a versão que suporta apenas um aparelho, e MagSafe Duo, para carregamento duplo.

E o “One More Thing”? Provavelmente não

Ainda estamos esperando que a companhia exiba um novo MacBook com o processador próprio Apple Silicon, mas não esperamos ver isso no evento desta terça-feira. De acordo com a Bloomberg, a Apple tem outro evento marcado para novembro dedicado exclusivamente ao Mac. O jeito é esperar até lá, então uma coisa de cada vez.