Anteontem, surgiu a notícia de que o Facebook pagou adolescentes para monitorar seus telefones por meio de um aplicativo de “pesquisa”. Ontem, após a repercussão da história, a Apple retirou o Enterprise Certificate da rede social. Como resultado, ela não pode mais acessar seus aplicativos internos para iOS, como as versões de pré-lançamento do Facebook, Instagram e Messenger, “bem como os aplicativos de funcionários para coordenar deslocamentos ou ver a programação de almoço do dia”, informa o TechCrunch.

Depois que a história inicial foi publicada, a Apple revogou as credenciais de desenvolvedor do Facebook por desrespeitar a política da empresa, que diz que o sistema só pode ser usado para distribuir internamente aplicativos corporativos.

Na reportagem, fica claro que o Facebook estava buscando consumidores — incluindo adolescentes — para o seu aplicativo de pesquisa, que supostamente opera de maneira bastante parecida com seu Onavo Protect, analisando hábitos de uso. Logo depois, a rede social disse, em um comunicado, que havia fechado a versão iOS do aplicativo, mas não mencionou que a Apple havia forçado essa decisão.

Embora não haja dúvidas de que o aplicativo de pesquisa do Facebook era mesmo perturbador, a decisão da Apple tem implicações enormes. Primeiro, isso não significa apenas que o Facebook não pode distribuir aplicativos internamente, mas também basicamente quebra esses apps. O Facebook, como você pode imaginar, depende de dezenas de aplicativos beta, que são instalados por fora.

De acordo com o Verge, esta medida da Apple está causando um caos interno entre os funcionários do Facebook. Um deles, segundo relatos, chegou a dizer que essa era uma “ferida autoinfligida. Quando é que a gente vai aprender?”

De acordo com a Business Insider, a notícia deixou os funcionários “irritados” e “furiosos”. A publicação cita anonimamente empregados que botaram a culpa tanto na Apple quanto no Facebook. “Não dá para esperar uma boa cobertura da imprensa se a gente continuar não seguindo as regras”, teria dito outro funcionário.

Este desenrolar dos fatos coloca um grande espinho no caminho do Facebook no que diz respeito aos seus futuros aplicativos para iOS. Agora tudo o que ele faz pode ter de passar pela revisão da App Store.

“Fique sabendo: os canais internos do Facebook estão completamente caóticos. Metade das pessoas estão meio que ‘é… por que nenhum dos meus apps funciona?’. Impressionante.”

Como alguns apontaram, em última análise, isso posiciona a Apple como reguladora de privacidade do Facebook. Infelizmente, é assim que a banda toca em 2019. E o Facebook pode não ter sido o único a violar essas regras: um aplicativo do Google era distribuído da mesma maneira.

Em um memorando para os funcionários, o Facebook afirmou que está “trabalhando em estreita colaboração com a Apple para restabelecer imediatamente nossos aplicativos internos mais críticos”.

[TechCrunch, Business Insider, Verge]