Com os casos de pandemia explodindo novamente em vários países, já era esperado que parte do comércio voltaria a fechar. Foi exatamente o que aconteceu com a Apple, que anunciou o fechamento de diversas Apple Stores nos Estados Unidos, Reino Unido e outros locais. A companhia foi uma das primeiras grandes varejistas a fechar suas lojas durante a primeira onda da pandemia e, desde então, tem aberto e fechado os estabelecimentos com base no pico flutuante de novos casos.

O 9to5Mac reportou que as novas restrições e o agravamento dos surtos de COVID-19 levaram a Apple a fechar todas as 53 lojas na Califórnia – o estado registrou oficialmente mais de 1,8 milhão de casos e mais de 22.500 mortes. Só no último sábado (19), quase 17.400 pessoas no estado foram hospitalizadas com infecções confirmadas ou suspeitas de coronavírus.

O Gizmodo também confirmou, através do site da Apple, que a empresa fechou mais de uma dúzia de lojas em outros estados devido ao aumento de casos de COVID-19, incluindo as quatro unidades no Tennessee, três em Utah, quatro em Minnesota e duas lojas em Oklahoma. Também entram na lista as lojas únicas em Anchorage, no Alasca; Portland, Oregon; e Albuquerque, Novo México.

No Reino Unido, onde o primeiro-ministro Boris Johnson decretou lockdown em Londres e grande parte do sul e leste da Inglaterra devido a uma nova cepa do vírus que se espalhou rapidamente, a Apple fechou 16 lojas. A Bloomberg informou que a Apple também fecharia suas lojas no México e aqui no Brasil devido ao aumento de casos. No início desta semana, a Apple também fechou suas 18 lojas na Alemanha e Holanda.

Em um comunicado enviado à Reuters, um porta-voz da Apple comentou sobre os fechamentos das lojas: “Devido às atuais condições do COVID-19 em algumas das comunidades que atendemos, estamos temporariamente fechando nossas lojas nessas áreas. Tomamos esse passo com muita cautela, pois monitoramos de perto a situação e esperamos ter nossas equipes e clientes de volta o mais rápido possível”.

Apesar do fechamento, os clientes ainda poderão retirar pedidos que já haviam sido feitos.

O Gizmodo entrou em contato com a Apple para comentar sobre o fechamento de lojas, bem como para confirmar o número de suas lojas ainda abertas nos EUA e no mundo no momento. Atualizaremos este artigo assim que recebermos uma atualização.