Às vezes, eu fico um pouco perdido com o Vale do Silício. A Apple deveria ser uma empresa sobre privacidade, certo?

É isso o que as propagandas e comerciais de TV têm mostrado. Sim, Tim Cook começou a cobrar a indústria sobre privacidade, mas agora está ficando claro que a empresa de Cupertino ainda precisa melhorar neste aspecto — e parece que eles estão conscientes disso.

A Apple deve apresentar um novo sistema de rastreamento de terceiros em aplicativos infantis, de acordo com o Wall Street Journal, citando uma fonte anônima. O momento mais provável deste anúncio deve ser na Worldwide Developers Conference (WWDC), que começa nesta segunda-feira (3).

Quando se trata dos assuntos Apple e privacidade, a App Store talvez seja o maior ponto fraco da empresa. Na última semana, vários repórteres abordaram a forma curiosa que faz a empresa lucrar com a loja. No Washington Post, Geoffrey Fowler escreveu que milhares de rastreadores estão enviando um monte de dados para anunciantes de forma oculta dentro dos apps para iPhone.

No Wall Street Journal, Joanna Stern ressaltou em uma reportagem como aplicativos que consomem muitos dados sugam tudo o que for possível sobre as crianças, da mesma forma que rola com os adultos, sem fazer nenhum esforço de diferenciar os dois grupos.

Em um comunicado ao Wall Street Journal, a Apple disse que está comprometida em “continuar a enfrentar os desafios de melhorar a transparência e ajudar usuários a terem privacidade mais forte e proteções de segurança para os dados que os usuários escolheram compartilhar”.

Todo grande evento de tecnologia agora cita privacidade. Tanto o Google como o Facebook gastaram um tempo em suas conferências para desenvolvedores falando sobre privacidade antes e depois de grandes anúncios.

A Apple está em outro patamar quando se trata de privacidade. Eles estão lá não apenas por causa do histórico e modelo de negócios, mas por causa das grandes promessas e do marketing sobre o assunto.

O mais recente anúncio da Apple, revelado em um outdoor do lado de fora de uma conferência de tecnologia no Vale do Silício, declaravam que “o que acontece em seu iPhone, permanece no seu iPhone”.