Nesta sexta-feira (25), três dias após anunciar seu concurso de fotos “Shot on iPhone”, a Apple atualizou sua página oficial de regras para o desafio, em resposta à revolta de artistas nas redes sociais.

• Por que a Apple está tão interessada em uma lei de proteção de dados nos EUA

Embora as campanhas de marketing do “Shot on iPhone” não sejam novas, a Apple anteriormente entrou em contato com fotógrafos por meio de sua agência de publicidade em vez de colocar um chamado em público. A empresa solicitou inscrições, com a promessa dos seguintes prêmios a dez fotógrafos vencedores:

6. Prêmio(s). Dez (10) Fotos vencedoras aparecerão no Apple Newsroom, no canal da Apple no Instagram, no apple.com, nas lojas da Apple e em outdoors em todo o mundo, conforme determinado pelo Patrocinador a seu próprio critério. O prêmio é intransferível. Sem substituições ou resgate em dinheiro. O prêmio não tem valor monetário.

Notavelmente, não houve menção explícita de que a Apple tinha planos de efetivamente pagar uma taxa de licenciamento aos artistas naquela seção do documento inicial, que foi obedientemente preservada pela Wayback Machine, do Internet Archive. Como o Verge apontou, essa última linha na citação acima (ênfase nossa) foi um grande ponto de atrito para alguns artistas, que ficaram frustrados e foram às redes sociais para reclamar com a Apple sobre os termos, criticando sua vasta riqueza e, mais amplamente, a prática da indústria de solicitar trabalho livre em troca de exposição.

(“Ao submeter a sua foto, você concede ao iTunes uma licença livre de royalties, mundial, irrevogável, não exclusiva para utilizar, modificar, publicar, exibir, distribuir, criar trabalhos derivados e reproduzir a fotografia (em qualquer lugar) da Apple.” Tim Cook vale US$ 625 milhões. Valor de mercado da Apple: US$ 730 bilhões.)

Agora, o parágrafo mudou. O documento atualizado diz:

6. Prêmio(s). Dez (10) Fotos vencedoras aparecerão no Apple Newsroom, no canal da Apple no Instagram, no apple.com, nas lojas da Apple e em outdoors em todo o mundo, conforme determinado pelo Patrocinador a seu próprio critério. O prêmio é intransferível. Sem substituições ou resgate em dinheiro. Os vencedores receberão uma taxa de licenciamento pelo uso em outdoors e em outros canais de marketing da Apple.

A companhia também atualizou o fim de seu comunicado de imprensa sobre o concurso com uma linha bem importante:

A Apple acredita firmemente que os artistas devem ser compensados pelo seu trabalho. Os fotógrafos que tirarem as dez fotos vencedoras finais receberão uma taxa de licenciamento para o uso de tais fotos em outdoors e outros canais de marketing da Apple.

Ainda não está claro quanto é que os vencedores receberão dessas taxas de licenciamento. Um artista que criticou os termos no Twitter sugeriu que um prêmio de US$ 10 mil seria um bom começo.

O Gizmodo procurou a Apple para verificar se a intenção inicial era de remunerar os vencedores. A empresa se recusou a comentar publicamente sobre o assunto.

[MacRumors, Verge]