A sequência recorde de crescimento da Apple chegou ao fim. Durante a divulgação dos resultados trimestrais nesta terça-feira (26), a Apple anunciou sua primeira queda anual desde 2003. A Apple registrou receitas de US$ 50,6 bilhões nesses primeiros meses de 2016, menos do que os US$ 58 bilhões durante o mesmo período do ano passado.

O lucro da empresa foi de US$ 10,5 bilhões, ante US$ 13,6 bilhões no mesmo período do ano passado. A empresa não divulgou números detalhados sobre unidades vendidas dos gadgets, mas falou sobre sua divisão de Serviços – que inclui apps, mídia e pagamento – e o Apple Music já tem mais de 13 milhões de assinantes.

O número mais importante no relatório financeiro da Apple é a queda na venda de iPhones – as pessoas não estão comprando eles o suficiente. A Apple registrou vendas de cerca de 50 milhões de unidades, menos do que as 61 milhões do ano passado. Analistas esperam que os números voltem a crescer apenas mais para o fim do ano quando a Apple lançar seu novo iPhone, provavelmente em setembro – o que significa que a empresa pode ter mais um trimestre negativo pela frente.

É a primeira vez em um período de 51 trimestres que as receitas da Apple caíram. Antes do relatório de hoje, a Apple atravessava um dos maiores períodos de crescimento da história dos EUA. A Apple perdeu 80% do valor das suas ações entre 1991 e 1997, e cresceu 21.000% nas últimas duas décadas. Este crescimento sem precedentes fez seu fundador, Steve Jobs, passar a ser considerado uma lenda na comunidade tecnológica.

A Apple apostava muito no crescimento das vendas dos iPhones para crescer no fim da década passada. O iPhone normalmente representa cerca de dois terços das receitas totais da empresa, e isso é visto também no relatório de hoje.

A queda nas vendas da empresa vem na sequência do lançamento do iPhone SE no começo deste ano e do iPhone 6 Plus em 2014. Até a metade desta década, a Apple lançava apenas um iPhone por ano, que era atualizado no ano seguinte. Mais recentemente, as vendas de iPhone desaceleraram e a empresa passou a buscar meios de inflar os números de vendas. Depois do lançamento do iPhone SE, parece que as pessoas finalmente perceberam que não precisam atualizar o smartphone todos os anos.

Atualizado às 18h54

Imagem: AP