O iPhone 6S chegou hoje às lojas, e a Reuters diz que a grande demanda pelo último modelo na China está criando uma série de Apple Stores falsas que se parecem muito com as originais — até mesmo nas sacolas.

Apple Stores não autorizadas são um problema antigo de diversos países. Mas a crescente demanda por produtos Apple na China, somada à escassez de lojas oficiais no país, fez surgir dezenas de negócios que vendem iPhones, tantos os reais quantos os piratas, em lojas que são feitas para se parecer muito com as Apple Stores originais.

De acordo com a Reuters, estas lojas proliferam por Shenzhen (que tem apenas uma Apple Store e cinco revendedoras autorizadas) frente o lançamento do iPhone 6S. Mas deixe os celulares de lado: essas lojas são as reais estrelas dessa história.

Diferente das Apple Stores parecidas que já vimos por aí, como a vista na foto de capa registrada em 2011 e na foto abaixo, em Johanesburgo, registrada em 2009, a Reuters explica que essas lojas têm funcionários vestidos com uniformes parecidos ao dos Genius, sacolas da Apple e móveis que fazem elas parecerem a versão real.

Uma loja falsa da Apple em Johanesburgo, 2009. Foto por: Jeff Attaway/Flickr

E de onde vêm estes acessórios falsos? Bem, além das lojas da Apple falsificadas, existem diversas lojas que vendem o necessário para fazer elas se parecerem com as reais, como a Reuters explica:

A poucos metros da loja falsa, dentro de um gigante shopping de eletrônicos, duas lojas oferecem os logos, os uniformes, as prateleiras e as sacolas necessárias para fazer uma Apple Store falsa parecer uma Apple Store genuína.

Uma recente fiscalização feita por autoridades nestas lojas falsas, entretanto, deixou os responsáveis cautelosos. Algumas lojas cobriram com adesivos os sinais onde é possível ler “revendedor autorizado Apple” com banners promocionais e os logos da Apple no uniforme dos funcionários, e mesmo assim diversos fornecedores afirmam que as vendas não foram afetadas.

Outros membros da indústria dizem que as lojas falsas da Apple se tornaram tão populares que será apenas uma questão de tempo até que algumas serem forçadas a fechar, conforme o mercado começa a se saturar.

Vale lembrar que a repetida frase “loja falsa da Apple” pode ser um pouco enganadora. Nem todas as lojas não são autorizadas: em alguns casos, um revendedor autorizado se esforça para que a loja tenha a mesma aura do equivalente oficial, assim melhorando a experiência do consumidor. Vemos a presença da Apple se expandindo para o design de lojas, seja isso legal ou não.

De qualquer forma, em breve essas lojas falsas terão que se adaptar: a Apple está no processo de mudar tanto o design de suas lojas quanto o uniforme de seus funcionários. [Reuters]

Foto de capa: loja em Chengdu, na China, em 2011 – ChezShawna/Flickr