Já estamos na quarta versão do wearable da Apple, e esse troço ainda não consegue rastrear meu sono nativamente. O Fitbit faz isso quase desde o início, e a Apple já está parecendo meio tola por não ter o recurso. No entanto, a Bloomberg está noticiando que a companhia finalmente começou a testar o rastreamento do sono, e ele pode aparecer em um Apple Watch logo em 2020.

Isso significa que ele não chegará na atualização deste ano (a Apple atualiza o relógio em todo outono norte-americano desde 2016, e não há nada sugerindo que isso não vá acontecer novamente neste ano), mas, sim, na atualização do próximo ano.

Bom, devemos estar falando de um baita tipo extravagante de rastreamento de sono então! Normalmente, existem dois tipos de rastreamento de sono atualmente disponíveis. Um que simplesmente mede quanto tempo você está na horizontal para estimar o quão bem você dormiu; e outro que usa a grande variedade de sensores em vestíveis modernos para fazer um palpite fundamentado não apenas sobre quanto tempo você dormiu, mas quanto desse sono foi o cobiçado tipo REM.

O rastreamento de sono está disponível no Fitbit há algum tempo e também no Apple Watch, mas só por meio de aplicativos. Inclusive, quando acordei nesta manhã, o Sleep Watch, um aplicativo para watchOS, perguntou o quão bem eu dormi e me mostrou que eu não só dormi mais do que o normal ontem à noite, como também consegui quase 6 horas de sono REM.

O que o rastreador de sono da Apple — que teoricamente aparecerá na sexta iteração do Apple Watch — poderia fazer, além do rastreamento REM, que justifique tamanho atraso?

Como a Bloomberg sugere, isso pode ter menos a ver com o rastreamento e mais com o que o alimenta. O Apple Watch tem dificuldade para durar 24 horas com uma carga, e, para muitas pessoas, um relógio com um rastreador de sono viável precisa durar ainda mais do que isso.

Atualmente, eu preciso estar muito atento para carregar meu relógio todas as noites antes de dormir para que ele possa rastrear meu sono e funcionar como um despertador. Eu o coloco no carregador enquanto estou fazendo coisas normais antes de dormir, como escovar os dentes e reabastecer o umidificador do quarto. Mais de uma pessoa já me disse que não podia suportar fazer tudo isso; talvez a Apple, com um exército de pesquisadores de mercado, tenha descoberto que o público em geral sente o mesmo. O que significa que o Apple Watch de sexta geração poderia ter uma vida útil de bateria muito superior ao que nos acostumamos atualmente.

Pelo menos eu espero que esse seja o caso. Do contrário, o aplicativo de rastreamento de sono da Apple simplesmente chegará atrasado para a festa. Entramos em contato com a empresa para comentários e atualizaremos a publicação se eles responderem.

[Bloomberg]