A lei da impermanência da vida se fez presente com a queda do Arco de Darwin — uma formação rochosa icônica nas Ilhas Galápagos. Segundo o Ministério do Meio Ambiente do Equador, o colapso ocorreu na segunda-feira (17), deixando para trás dois pilares que antes formavam uma ponte.

Por meio do Twitter, o Ministério informou que a causa do desabamento foi erosão natural. “O Arco de Darwin é feito de rochas que antes teriam sido parte da Ilha de Darwin, que não está aberta a visitantes”, afirmou. “O local é considerado um dos melhores lugares do planeta para mergulhar e observar cardumes de tubarões e outras espécies.”

O colapso foi testemunhado por mergulhadores a bordo de um navio operado pela Aggressor Adventures. “Infelizmente, hoje, nossos convidados do Galapagos Aggressor III experimentaram um evento único na vida. Esta manhã, às 11h20, horário local, o mundialmente famoso Darwin’s Arch desabou diante de seus olhos ”, escreveu a empresa de mergulho em um post no Facebook. “Existem agora apenas dois pilares restantes.”

Assine a newsletter do Gizmodo

A empresa afirmou, ainda, que a estrutura que sobrou já está sendo chamada de “Pilares da Evolução”. Os nomes homenageiam Charles Darwin, que usou o arquipélago como base para desenvolver a Teoria da Evolução.