Um pequeno satélite capturou um fragmento de lixo espacial usando um arpão com uma garra na ponta da corrente. O teste representa uma conquista tecnológica importante, já que nosso problema com esse tipo de resíduos fica cada vez maior.

Chamado de RemoveDEBRIS, o projeto de pesquisa é uma iniciativa para testar várias tecnologias de remoção de lixo espacial. O projeto, que envolve um satélite de 100 kg na órbita baixa da Terra, está sendo liderado pela Universidade de Surrey e envolve um consórcio de empresas espaciais e instituições de pesquisa, com algum financiamento vindo da União Europeia, segundo um comunicado.



Durante um teste recente, o satélite RemoveDEBRIS atirou com um arpão em um alvo de 10 centímetros de largura, sustentado por uma haste a uma distância de um metro e meio, informa a BBC. O arpão atingiu o alvo alveolado de alumínio a uma velocidade de 20 metros por segundo. Em um vídeo divulgado pela Surrey University, as garras na ponta do arpão podem ser vistas cavando o alvo no contato e travando de maneira firme. O objeto foi arrancado do bastão, o que não foi um problema, já que o arpão é amarrado por um fio ao satélite.

Em um comunicado, Guglielmo Aglietti, diretor do Centro Espacial de Surrey, disse que, de todos os experimentos com o RemoveDEBRIS, este em particular foi “o mais exigente”, e um “testemunho do trabalho de todos os envolvidos”.

Este é o terceiro teste bem-sucedido do RemoveDEBRIS. Anteriormente, o satélite implantou uma rede para capturar um pedaço simulado de lixo espacial, e usou um sistema de câmera baseado em laser para localizar um pedaço flutuante de detritos espaciais. Um quarto e último experimento será conduzido em março, quando o satélite vai pisar nos freios e abrir uma pequena vela. Com sua velocidade muito diminuída, o satélite e qualquer coisa que ele tenha capturado (ao menos teoricamente) retornarão à Terra e se queimarão na reentrada.

Essa conquista mais recente é importante por causa de todo o lixo que está se acumulando na órbita baixa da Terra.

A U.S. Space Surveillance Network estima que cerca de 29.000 objetos maiores que 10 centímetros estão atualmente flutuando na órbita da Terra, alguns com velocidades aproximando-se de 10 quilômetros por segundo.

Soluções como as apresentadas pelo projeto RemoveDEBRIS podem nos ajudar a limpar o espaço imediatamente acima de nós antes que um desastre aconteça. Peças de foguetes descartados, ferramentas perdidas, pedaços quebrados de espaçonaves e outros objetos podem acabar batendo em equipamentos valiosos. Tais colisões fariam o lixo espacial criará ainda mais lixo espacial.

“Os detritos espaciais podem ter sérias consequências para nossos sistemas de comunicação caso se choquem com satélites”, disse Chris Skidmore, ministro de Universidades, Ciência, Pesquisa e Inovação do Reino Unido. “Este projeto inspirador mostra que os especialistas do Reino Unido estão chegando com respostas para este problema potencial usando um arpão, uma ferramenta que foi usada diversas vezes ao longo da história.”

Parabéns à equipe do RemoveDEBRIS, que se deu bem em todos os três testes realizados. Estamos torcendo para tudo dar certo no experimento de março.

[University of Surrey, BBC]