O Google anunciou que vai fechar as portas do Google Reader em 1° de julho. Ou seja, você terá que encontrar uma nova forma de acompanhar seus sites favoritos. Veja como exportar todos os seus feeds, e como colocá-los em um novo leitor.

Primeiro passo: encontre um novo leitor de RSS

O RSS é o mecanismo pelo qual o Google Reader acompanha os websites, e permite a você saber quais artigos você leu. Felizmente, ele está longe de ser o único leitor de RSS que existe, então você não deve ter muita dificuldade em encontrar um que você goste. Em geral, eles se dividem em duas categorias. Eis as suas opções.

Opção um: leitores RSS baseados na nuvem

reader-lh 2

Se você lê seus feeds RSS em mais de um local (ou seja, se você quer lê-los em casa, no trabalho, ou em dispositivos diferentes), é melhor experimentar um leitor de RSS baseado na web, semelhante ao Google Reader.

O NetVibes (imagem acima) é um dos leitores web mais populares, oferecendo uma interface semelhante ao Google Reader, assim como uma página inicial semelhante à do iGoogle.

O NewsBlur também é uma ótima opção, com uma interface muito semelhante à do Google Reader (e até um pouco mais bonita). Você cria uma conta com eles, se inscreve em seus sites favoritos, e pode lê-los em qualquer computador. Eles ainda têm apps para Android e iOS que sincronizam seus feeds.

O Feedly é popular, mas com certeza diferente do Google Reader. Sua interface é menos tradicional e um pouco mais semelhante a jornal/revista, mas é muito bonita. Você precisa baixar uma extensão para Chrome ou Firefox para usá-lo, mas você poderá sincronizar seus feeds entre navegadores e até entre apps móveis do Feedly para Android e iOS. Eles também dizem que terão um método de transição quando o Reader for desativado: seus feeds serão migrados automaticamente.

Também temos o Pulse, com versão web e apps para Android e iOS; e The Old Reader, com a interface clássica do Google Reader – mas sem depender dele.

Opção dois: leitores RSS para desktop ou mobile

reader-lh 3

Sua outra opção é usar um aplicativo de desktop. Muitas vezes eles oferecem mais recursos do que seus correspondentes na web, e continuarão funcionando mesmo depois que o Google Reader acabar.

Mas há um detalhe: todos os programas usam o Google Reader para sincronizar seus feeds RSS entre dispositivos. Se você usa o leitor RSS em apenas um computador, não há problema.

E quem quer acompanhar os feeds em dispositivos diferentes, como celular, tablet e PC? Bem, o Google Reader não fecha até julho, então há tempo suficiente para que desenvolvedores consigam sincronizar com um serviço diferente. Já existem várias iniciativas de replicar a API do Google Reader para tanto.

Para o Windows, nós realmente gostamos do FeedDemon (imagem acima), por seu alto nível de personalização, acompanhamento de palavras-chave e mais. Há outras alternativas para Windows: o RSS Bandit é simples e sincroniza com o Google Reader; o FeedReader tem funções avançadas e uma versão simples para web; e o RSSOwl pode separar seus feeds por abas e tem um monte de funções.

Usuários de Mac precisam conferir o Cream (US$ 4), um leitor RSS que ajuda você a separar o joio do trigo, e não depende do Google Reader. Se você quer uma alternativa gratuita, experimente o NetNewsWire. Há também o Reeder (US$ 5): por enquanto, ele exige uma conta do Google Reader para funcionar, mas o desenvolvedor avisa que “o Reeder não vai morrer com o Google Reader”.

No Android e iOS, quase todos os apps exigem login no Google Reader para funcionar. E agora? Felizmente, o Newsblur tem app para iOS e Android também, e ele não depende do Google Reader. O Feedly diz que não dependerá do Google Reader até julho, quando será feita uma transição no back-end. O mesmo vale para o Reeder, presente no iPhone e iPad. Nas duas plataformas, você também pode experimentar o Pulse.

Segundo passo: importar seus feeds do Google Reader

reader-lh 4

Depois que você encontrar um novo leitor de RSS, você deve importar os feeds do Google Reader, assim você não precisa se inscrever nos feeds de novo. Felizmente, exportar seus feeds do Google Reader – e importá-los em outro lugar – é muito simples. Eis o que você precisa fazer:

  • Vá até o Google Takeout e clique no botão “Create Archive”. Ele começa a construir um arquivo com todos os seus feeds, as pessoas que você segue, os itens com estrela, e mais (embora a maioria destes não seja importável para outros sites).
  • Assim que isto terminar, clique no botão “Download” para obter suas inscrições de feeds.
  • Abra o arquivo ZIP que você acabou de baixar. Dentro da pasta “Reader”, você deve ver um arquivo chamado subscriptions.xml. Extraia o arquivo para sua área de trabalho.
  • Abra seu novo leitor de feed, vá até suas configurações, e encontre a opção Importar. Selecione-a e escolha o arquivo subscriptions.xml que você acabou de extrair. Todos os seus feeds devem aparecer no novo leitor.

Isso não vai importar seus itens com estrela, nem quais artigos você já leu no Google Reader, mas pelo menos você ainda terá todas as suas assinaturas.

Uma alternativa é baixar um leitor de desktop que sincronize com o Google Reader – como alguns citados acima – e deixá-lo sincronizar, para depois desligar a sincronização com o Reader. Dessa forma, você pelo menos pode continuar de onde parou.

Você ainda tem até julho para descobrir qual leitor de RSS usar, então experimente alguns serviços diferentes e veja de qual você gosta. Esperamos que, até julho, alguns dos aplicativos de desktop tenham outras opções para sincronizar com a nuvem. Enquanto isso, compartilhe seu leitor de RSS favorito que não seja do Google.

Imagem inicial: Marsil (Shutterstock) e sspopov (Shutterstock).