A história surge no TUAW e mostra um dos caminhos que as operadoras deveriam seguir em casos de enchentes, desastres naturais e outras grandes tragédias. Surpreendentemente, os comentários da notícia contam casos semelhantes — um leitor, por exemplo, diz que quando sua sogra estava morrendo, sua esposa gastou muito com ligações, explicou para a operadora e teve um grande desconto.

E por aqui? Alguém já conseguiu ter uma conversa franca com as operadoras e explicar que o caso era gravíssimo? E no caso de grandes catástrofes, as operadoras deveriam abrir o sistema para todos, e não apenas em casos isolados? Com o aumento de enchentes no Brasil, terremotos pelo mundo e muitos problemas de aquecimento global, essas questões são cada vez mais pertinentes. [TUAW]