A principal razão para não nos empolgarmos com a possível chegada da Google TV ou da nova Apple TV ao Brasil é por conta da completa ausência de sistemas de streaming no país. Nos EUA, tanto Hulu quanto Netflix fazem a alegria dos americanos, com streaming para TV e até para smartphones. Enquanto isso, ficamos pensando aqui: por que ninguém explora de verdade esse mercado no Brasil? Eis que surge o Assista Já, um site de venda de filmes via streaming que acaba de anunciar sua set-top box para transmissão dos vídeos. Será que agora vai?

O site Assista Já está no ar desde agosto e tem o formato de locadora virtual, para aluguel de filmes on demand. Os preços variam de R$ 1,90 a R$ 6,90, mas há logo de cara um problema sensível: a lista de filmes ainda está na casa dos 50 títulos, número nada empolgante para os cinéfilos, além de contar com vários filmes antigos – mas com opções mais recentes do que a versão online do Netmovies, por exemplo. Mas, segundo a Folha de hoje, a Media Stream, empresa por trás do site, promete colocar de 20 a 40 novos filmes por semana, já que eles teriam mais de 3.000 filmes licenciados e prontos para serem comercializados (há a expectativa para a inclusão de seriados também).

Pela falta de sites similares, a concorrência do Assista Já deve ser com os sistemas de aluguel de filmes da Blockbuster e da NetMovies. O site também tem planos mensais que variam de R$ 13 a R$ 50 reais, que rendem um aluguel mínimo de filmes – o plano mais caro oferece até 44 filmes por mês. Os filmes comprados de modo avulso na realidade são alugados, ficando disponíveis por 24 ou 48 horas. Mas a diferença principal do sistema é a ausência completa da mídia física.

Essa ausência tem seu lado positivo: não há necessidade de esperar o filme chegar, o motoboy da Netmovies sair, nem depender do trânsito ou de qualquer outro tipo de infortúnio. É clicar, pagar e assistir, e para nossa geração afobada, nada melhor do que praticidade. Mas, claro, há um preço por essa praticidade. A qualidade de imagem sofre fortíssima compressão, e o resultado final tem apenas 480p: excesso de quadrados, rastros exagerados e imagem muito distante do que o diretor do filme quis te passar de verdade são bem comuns na exibição dos trailers. Porém, o site já prepara um sistema de transmissão em full HD – mas será necessário uma conexão de no mínimo 2,5 Mbps.

Se a questão da imagem pouco te incomoda e você já se acostumou com os filmes baixados via torrent com qualidade péssima, o Assista Já também é interessante por sua extensão. Como depende apenas de internet – o site recomenda conexão de 1 Mbps – o sistema alcança o Brasil inteiro, sendo uma locadora 100% virtual que atinge todo o território nacional. Em um teste rápido, é possível constatar que o sistema funciona bem em conexão de 1 mega; os trailers, por exemplo, rodam quase sem buffering.

A outra sacada do sistema é a venda do Assista Já Player, um set-top box para transmissão do conteúdo do site na televisão. A caixinha, que custa R$ 420, tem entrada para conexão RGB e ganha pontos pela saída HDMI. A conexão com a internet é feita via cabo Ethernet ou Wi-Fi. Depois de logar, a página da locadora é aberta e é possível comprar e assistir os filmes, escolher legendas e qualidade da imagem. Mas, novamente, um filme de 480p numa televisão full HD é como um lambari no Sea World.

O Assista Já ainda tem seus defeitos – opções de filmes ainda escassas, ausência de filmes em HD e de seriados – mas é bom ver que há gente pensando no mundo do streaming e dos vídeos on demand no Brasil. Alugar um filme legalmente por R$ 1,90 e não depender de nada – download, entrega, compatibilidade – além de uma conexão de internet é um bom caminho para o início desse novo mercado no Brasil. E o surgimento de sistemas assim nos deixam um pouco mais empolgados com as apostas da Apple e do Google no mundo da TV. [Assista Já via G1 e Folha]