Recentemente, vimos uma Olimpíada que todos podem apoiar. Nesses jogos, não houve pandemia, calor excessivo e nenhuma ameaça de tempestade tropical. Mas calma, pois não estamos falando dos Jogos Olímpicos de Tóquio, mas sim do que foi improvisado nas “Olimpíadas Espaciais”, realizadas na Estação Espacial Internacional (ISS).

Os astronautas criaram uma versão própria dos eventos olímpicos no espaço, estreando a “rotina de falta de chão”, “handebol sem as mãos”, “natação espacial sincronizada” e “tiro ao alvo sem peso”. Os vídeos foram compartilhados no Twitter pelo astronauta francês Thomas Pesquet. Embora a equipe internacional não tivesse equipamentos e instalações como os que estavam em Tóquio, eles conseguiram manter meus olhos grudados na tela.

As quatro competições também lembram exatamente o que você espera de uma Olimpíada: espírito esportivo, excelência, paixão, trabalho em equipe, concentração e habilidade. Se você precisa de um exemplo, isso é o que Pesquet tinha a dizer sobre o nado espacial sincronizado.

“Natação espacial sincronizada — uma oportunidade de mostrar o trabalho em equipe e a coesão da tripulação”, tuitou.

No geral, os astronautas pareciam estar se divertindo muito nas Olimpíadas Espaciais e me fizeram sorrir ao vê-los. As Olimpíadas Espaciais também me transformaram em um superfã de natação espacial sincronizada.

Você pode conferir cada evento das Olimpíadas Espaciais nos vídeos abaixo:

Rotina de falta de chão:

Handbol sem as mãos:

Natação Espacial Sincronizada:

Tiro ao alvo sem peso:

No que diz respeito às Olimpíadas de Tóquio realizadas na Terra, elas terminam no último domingo (8). Os Estados Unidos conseguiram o maior número de medalhas, com 108 no total. A China, por outro lado, é a líder com mais medalhas de ouro, com 38. Japão, Comitê Olímpico Russo e Grã-Bretanha são os próximos da fila, classificando-se entre os cinco primeiros em medalhas de ouro e medalhas totais.

Assine a newsletter do Gizmodo

A cerimônia de encerramento contou com a transferência da bandeira olímpica de Tóquio para Paris, que sediará os Jogos de 2024, uma época que só podemos esperar que não seja atormentada pela Covid-19 e pelo clima extremo. A coisa do tempo pode ser difícil por causa da crise climática que afeta nosso planeta, mas dedos cruzados para que nossa luta contra o coronavírus evolua favoravelmente nessa época.