É difícil imaginar uma cena mais épica, mas esta foto possui origens modestas: o astrônomo amador Thierry Legault a tirou com nada além do seu próprio telescópio, um prisma solar e uma Canon 5D Mk II.

Tirada logo após o lançamento, a imagem mostra a cena distante como vista por um telescópio refrator Takahashi TOA-130 (comprimento focal 2200mm) e um prisma solar Baader, que dá ao Sol esta aparência mais singela. Presa na parte de trás do telescópio, a 5D estava programada para ISO 100 e velocidade de obturador de 1/8000, respectivamente as configurações de extremo baixo e alto da câmera. [Editado: ops, a MK II na verdade faz ISO 50]. Legault usou a ferramenta online gratuita Celestial Observer para calcular a melhor hora de tirar a foto da sua casa.

Enquanto isso, aquela pequena silhueta é a cena de uma missão de resgate do Hubble incrivelmente complexa e perigosa, que consertará vários instrumentos da nave, instalará uma nova câmera e garantirá que o principal telescópio orbital da NASA continue nos mandando imagens incríveis por mais muitos anos.

Veja as inacreditáveis fotos sem cortes no site do Legault. [Thierry Legault via Daily Mail]