Aquela Apple Store falsa em Kunming, na China, não tem qualquer pretensão de ser real: eles não têm autorização e não têm problema com isso. Você acha errado eles fazerem uma imitação de loja? Eles estão pouco se lixando, como informa o Wall Street Journal.

Depois de muitas tentativas de contato via telefone, finalmente alguém na loja de Kunming atendeu. O atendente disse que, ao contrário de outros, a Apple Store falsa estava acima de lojas xing-ling, porque eles vendem apenas produtos oficiais da Apple, a preços que a Apple costuma cobrar, para clientes que não têm acesso a uma de apenas quatro Apple Stores oficiais na China.

E eles não vão mudar. Pelo menos não por enquanto: “Não faz muita diferença para nós se somos autorizados ou não”, explicou o atendente. “Eu só me importo que todo dia o que eu vendo são produtos autênticos da Apple, e que nossos clientes não voltam para reclamar comigo sobre a qualidade dos produtos”.

É, parece que essa informação… é falsa. Segundo a Reuters, os clientes compraram produtos na loja falsa achando que era uma Apple Store de verdade, e agora eles foram tomar satisfações:

“Cadê minha nota fiscal, vocês prometeram dar minha nota no mês passado!” gritou Wang aos funcionários, antes de ser levada para uma sala no andar de cima.

Um funcionário da loja disse que toda a cobertura da mídia afetou os negócios, já que os clientes querem provas de que os produtos não são falsificados. E é disso que Wang reclama, depois de gastar mais de US$2.000 num iPhone e MacBook Pro: “A coisa que me deixa mais irritada é que eu gastei tanto dinheiro nesta loja e eu nem sei se o produto é real ou não”. É, parece melhor só comprar na Apple Store online… [WSJ e Reuters]