Prometendo “não deixar pedra sobre pedra,” Steve Ballmer concedeu entrevista ao site CRN, uma das primeiras após o anúncio do Surface, o tablet com Windows 8 fabricado pela própria Microsoft. O CEO da empresa declara guerra à Apple. Sem medir esforços.

Na entrevista, concedida por Ballmer depois do Worldwide Partner Conference, no Canadá, Ballmer não fez questão de esconder que a rival da Microsoft é a Apple. Ele ressaltou que a empresa que comanda tem mandado bem na área corporativa, e que não deixará espaço para a Apple. Nenhum espaço:

“(…) Mas não deixaremos nenhum pedaço disso [ir sem disputa para a Apple]. Nem a nuvem para usuários domésticos. Nem a inovação em hardware/software. Não deixaremos nada disso de graça para a Apple. Não vai acontecer. Não sob o nosso nariz.

Sentimo-nos capazes de inovar em tudo e trazer nossos parceiros conosco. Não simplesmente não deixaremos nada — como é a expressão que as pessoas usam? — Nós não deixaremos pedra sobre pedra, por assim dizer, já que buscamos isso.”

Em outro trecho, o entrevistador perguntou se nessa cruzada anti-Apple, que ao longo da última década foi capaz de montar um ecossistema completo e capaz de fechar o usuário nele, um smartphone da própria Microsoft poderia acontecer. Meio evasivo, Ballmer não disse que sim, mas também não disse que não — embora tenha deixado claro que não é algo em que estão pensando no momento:

“No momento nós estamos trabalhando duro no Surface. Esse é o foco. Esse é o nosso espírito agora. Veremos o que acontecerá. Temos boas parcerias com a Nokia e HTC no espaço dos celulares. Eu adoro o que estamos fazendo com o Surface. Nós focaremos no Surface e nos outros tablets com Windows 8 dos nossos parceiros e veremos se conseguimos fazer algo acontecer.”

Do seu lado, a Microsoft tem alguns trunfos no ambiente doméstico — o principal deles, talvez, o Xbox 360, que a cada atualização/anúncio se transforma mais e mais em uma central de entretenimento, com os jogos sendo apenas uma das muitas funções que o console oferece. Mas se aqui ela está na vantagem, em outras áreas-chave, como telefonia móvel, tablets e lojas de conteúdo, ainda há espaços a serem tomados da Apple — se tudo correr como Ballmer espera, ou melhor, promete. [CRN. Foto: Wired Photostream/Flickr]