O Projeto Loon, do Google, quer cobrir o mundo em balões a 18.000 m de altitude – ou seja, acima até mesmo dos aviões – para o mundo inteiro entrar na internet via Wi-Fi.

Sim, é algo meio insano. A própria empresa admite isso: o nome do projeto vem da palavra “balloon” e também significa “pessoa maluca”. E ele acaba de ficar ainda mais insano: para se tornarem realmente funcionais, as frotas de balões vão adotar uma tática da natureza.

Eles levam internet aos usuários através de um transceptor, que se conecta a uma antena especial de internet criada pelo Google; ela é instalada na sua casa ou empresa. Cada um dos balões cobre uma área de até 40 km de diâmetro (cerca de 1.200 km²).

Encher o céu com balões que fornecem acesso Wi-Fi é uma coisa, mas deixá-los estáveis o bastante para manter a cobertura é outra. Cada balão flutua aproveitando as correntes de ar; eles também podem ser controlados para subirem ou descerem. No entanto, comandar diversos balões desta forma não é tarefa fácil.

Por isso, o Google está trabalhando com simulações onde cada balão Loon se comporta e “pensa” como um pássaro de verdade em um bando. Ele fica atento a outros vizinhos flutuantes, e tenta manter deles uma distância uniforme. Isso é possível porque cada balão se conecta aos outros através de um transceptor de rádio, formando uma rede.

Mas, para o futuro, o Google também está considerando uma solução muito mais complexa, na qual cada balão não apenas cuida de si próprio, como também sabe exatamente o que os outros balões estão fazendo. Isso mesmo: é um consciente coletivo… de balões.

Vai demorar um pouco até que o Projeto Loon realmente comece a pegar, mas será um trajeto interessante até chegarmos lá. Se você tem alguma dúvida sobre o projeto, clique aqui para saber mais sobre ele. [YouTube via Slashgear]