Cientistas australianos criaram uma impressora 3D que usa uma tinta especial para criar cartilagem de pacientes e, assim, esculpir o que for necessário durante uma cirurgia.

Chamada Biopen, a impressora tem o formado de uma caneta e pode ser usado mais ou menos como uma, com o médico desenhando a cartilagem de acordo com o corpo do paciente, permitindo uma personalização dos implantes.

cartilagem-impressora-3d

O segredo da Biopen está na sua tinta especial, feita de um hidrogel que transporta células-tronco humanas vivas. Com a ajuda de uma fonte de luz para solidificar a tinta após a aplicação, a tecnologia consegue criar células que sobrevivem em 97% das vezes – é um número impressionantemente alto.

Não é a primeira vez que uma bioimpressora 3D é criada – elas já existem há tempos para impressão de células na criação de tecidos artificiais. E nem o primeiro uso de células-tronco em parceria com uma impressora 3D. A diferença está na personalização que a Biopen possibilita.

A própria Biopen não é exatamente nova: um protótipo dela foi desenvolvido há anos, mas ela foi refinada consideravelmente para essa nova versão, segundo os cientistas envolvidos no projeto.

A esperança é que a tecnologia seja usada quando for necessária uma regeneração customizada de tecido – no entanto, ainda não sabemos quando ela começará a ser comercializada, nem mesmo quando será testada em pacientes.

[Science Daily via Engadget]

Fotos: Mark Newsham/University of Wollongong