Jeff Bezos pode ter se sentido triunfante quando embarcou rumo ao espaço em julho, mas aparentemente o mesmo não pode ser dito sobre outros funcionários da Blue Origin. Na última sexta-feira, a CNBC afirmou que mais de uma dúzia de engenheiros deixaram a empresa nas últimas semanas. Muitos deles, inclusive, deixaram a companhia para ocupar cargos de alto escalão na concorrência.

Entre os principais nomes que partiram da Blue Origin estavam Nitin Arora, engenheira-chefe do programa de aterrissagem lunar, que disse em uma postagem no LinkedIn ter entrado para a SpaceX; e Lauren Lyons, que anunciou no início deste mês ter assumido a função de COO da Firefly Aerospace. A Fox Business confirmou outras duas saídas proeminentes: o ex-astronauta da NASA, Jeff Ashby, e Steve Bennet, que ajudou a dirigir o programa de lançamento do New Shepard — o mesmo que levou Bezos e sua turma para a órbita espacial.

Um porta-voz da Blue Origin disse à CNBC que, apesar do volume de negócios, a empresa está crescendo em um ritmo rápido. Só em 2020, foram contratadas 850 pessoas, e mais 650 já foram adicionadas até o momento em 2021. “Continuamos cumprindo as principais funções de liderança em fabricação, qualidade e design de motores e veículos. É uma equipe que estamos construindo e temos grandes talentos”, comentou o porta-voz.

Ainda assim, essas partidas de alto nível são um bom lembrete de que pode ser difícil investir no mercado espacial, mesmo se você for o homem mais rico do mundo. Vimos isso no final do ano passado, quando o diretor de operações da Blue Origins saiu da empresa, na esteira de vários contratos governamentais perdidos e uma enxurrada de atrasos no desenvolvimento da tecnologia espacial da companhia.

Blue Origin abre investigação contra a SpaceX

Recentemente, a empresa de Bezos perdeu um contrato importante com a NASA para a SpaceX, que agora ficará responsável por desenvolver um módulo lunar para o programa Artemis. No início deste ano, a agência espacial americana voltou atrás nos planos iniciais de conceder contratos de desenvolvimento para várias empresas para o programa Human Landing System (HLS), em vez de fornecer US$ 2,9 bilhões em financiamento exclusivamente para a SpaceX.

Assine a newsletter do Gizmodo

Por conta do fim do contrato, a Blue Origin instaurou um processo contra o contrato da NASA com a empresa espacial de Elon Musk. Aliás, o próprio Bezos escreveu uma carta aberta ao administrador da agência, Bill Nelson, dizendo que a Blue Origin cobriria bilhões em custos se eles pudessem ter uma parte do contrato. Até o momento, a NASA não respondeu.