A Boeing demitiu seu CEO, Dennis A. Mullenburg, e o substituirá com o atual presidente da empresa, David L. Calhoun. Um anúncio enviado à imprensa diz que Mullenburg renunciou, mas no mesmo comunicado é também dito que foi uma decisão do conselho de administração. Em português claro: Mullenburg foi demitido.

“O Conselho de Administração decidiu que a mudança na liderança foi necessária para restaurar a confiança na empresa, à medida que a companhia segue adiante em seu trabalho para reparar o relacionamento com reguladores, clientes e outras partes interessadas”, diz o comunicado à imprensa.

A saída de Mullenburg vem após 18 meses tumultuosos para a empresa. Neste período houve duas tragédias com os novos Boeing 737 MAX. Os dois casos tiveram apenas cinco meses de diferença e todos os aviões MAX ao redor do mundo foram proibidos de voar.

O voo 302 da Ethiopian Airlines caiu em 10 de março de 2019 e matou todas as 157 pessoas a bordo. O voo 610 da Lion Air caiu pouco depois da decolagem na costa da Indonésia em 29 de outubro de 2018, matando todas as 189 pessoas a bordo. Ambos os voos foram no novo Boeing 737 Max-8.

O problema central do avião é o Sistema de Aumento de Características de Manobras (MCAS), que abaixa o nariz da aeronave quando detecta que ele pode estar apontando para cima e parado. E como relata o Wall Street Journal, a FAA (regulador de aviação dos EUA) sabia de problemas com o avião e permitiu que ele voasse mesmo assim. A produção do avião foi oficialmente suspensa na semana passada.

Greg Smith, CFO da Boeing, atuará como CEO interino até que Calhoun “saia de seus compromissos que não são da Boeing”, de acordo com a empresa.

“Em nome de todo o conselho de administração, estou satisfeito por Dave ter concordado em liderar a Boeing neste momento crítico”, disse Lawrence W. Kellner, presidente do conselho da Boeing, em comunicado à imprensa.

“Dave tem uma profunda experiência no setor e um histórico comprovado de forte liderança e reconhece os desafios que devemos enfrentar. O conselho e eu estamos ansiosos para trabalhar com ele e o restante da equipe da Boeing para garantir que hoje seja um novo caminho a seguir para a nossa empresa”.

“Acredito firmemente no futuro da Boeing e do 737 MAX”, disse o novo CEO Calhoun. “Estou honrado em liderar esta grande empresa e os 150 mil funcionários dedicados que estão trabalhando duro para criar o futuro da aviação”.