A Fifa tem sido reticente em introduzir chips nas bolas de futebol. Eles testaram modelos de bola high-tech, depois desistiram — dizendo que a tecnologia tira emoção do futebol — e agora querem usar bolas com chip na Copa do Mundo de 2014, aqui no Brasil. Algo me diz que esse conceito CTRUS de bola, que pretende acabar com todas as discussões de mesa redonda às segundas-feiras, não seria a escolha da Fifa.

  

O conceito CTRUS, criado pelo estúdio de design AGENT (que gosta de CAPS LOCK), tem GPS e chip RFID, que servem para indicar a localização da bola no campo: dessa forma, fica mais fácil responder perguntas como "a bola entrou no gol?" ou "será que foi impedimento?". E, como você pode ver pelas imagens acima, esta bola não precisa ser enchida com ar: ela tem uma estrutura interna, chamada "skelle-core", uma espécie de esqueleto que mantém a forma da bola.

Só que a bola é revestida com uma rede que a deixa transparente: nisso a bola seria pioneira, e eu gostei do efeito, mas imagino que isso possa atrapalhar os jogadores. Por exemplo, ver a bola de longe vai ficar mais difícil. Eu achei linda a transparência do conceito CTRUS, mas também achei desnecessária (assim como naquele laptop da Samsung).

Mas espero que a tecnologia de localização seja mesma implantada em jogos oficiais de futebol: ela já é usada em esportes como natação e tênis, e eles não perdem a emoção por causa disso. [AGENT via GizmoWatch via Digital Drops]