Pra mim, isto não parece um bolômetro cintilante. Nem um pouco! O físico Eduardo Abancéns, da Universidade de Zaragoza (Espanha), diz que é um detector de matéria escura. E que parece capaz de sugar sua alma.

A matéria escura, que se acredita formar 20% do universo, é invisível para nós. Sabemos que ela está lá, flutuando em algum lugar, porque ela afeta o comportamento das galáxias e estrelas. O bolômetro cintilante é um cristal que, em teoria, seria capaz de detectá-la. Ele é tão puro que consegue conduzir a energia gerada quando uma partícula de matéria escura atinge o núcleo de um dos átomos do cristal.

O cristal é colocado dentro deste recipiente de chumbo para evitar interferência de raios cósmicos. O instrumento ficará debaixo de quase 1 km de rochas, em um laboratório subterrâneo, e congelado até quase o zero absoluto (273 graus Celsius negativos). Desta forma, se uma partícula de matéria escura colidir com um átomo do cristal, a equipe comandada por Abancéns será capaz de detectar uma mudança na temperatura e confirmar a existência de matéria escura. Ou, pelo menos, é isso que eles dizem.

O prefixo "bolo-" vem do grego e quer dizer "radiação". Mas eu vou continuar pensando que bolômetro cintilante é um nome chique para um anel vibratório pro meu saco. [Wired e Sinc]