Em alguns países, passageiros do Uber tiveram problemas com violência, seja de incidentes cometidos por motoristas ou cometidos por terceiros. Para tentar reduzir esses tipos de incidentes, agora o Uber adicionou um botão de segurança no aplicativo nos Estados Unidos para que passageiros possam acionar a polícia e compartilhar localização em tempo real.

Agora você não precisa baixar o app para pedir um Uber
Bêbado dorme no Uber, acorda em outro estado e paga mais de R$ 5.000 por corrida

A ideia de implementar esse “botão de segurança” já tinha sido sinalizada por Dara Khosrowshahi, CEO do Uber, em abril, quando o executivo disse que a empresa passaria a levar a sério a segurança tanto de passageiros como de motoristas. Como resultado disso, a companhia implementou, por exemplo, melhorias na checagem de motoristas.

De acordo com o Uber, o botão de emergência ficará no item “central de segurança” em um novo menu, que será facilmente acessível na tela inicial do app. Nele, o passageiro poderá contatar rapidamente alguém (uma pessoa ou a polícia) se acontecer algo de errado. Além disso, nessa “central de segurança” será possível ver informações sobre seguro, o processo de triagem do motorista e as diretrizes da comunidade que, em bom português, vão listar os comportamentos que podem fazer você ser banido da plataforma

Para contatar a polícia nos Estados Unidos, os passageiros deverão arrastar o dedo sobre o ícone da central de segurança e escolher a opção “911 assistance”. Antes de prosseguir com a solicitação, o app pedirá uma confirmação da pessoa — até para poder evitar chamadas “involuntárias”.

Não serão em todos os locais que o Uber compartilhará a localização em tempo real com a polícia. Por ora, fazem parte do rol de locais em que será possível fazer isso: Denver (Colorado), Charleston (Carolina do Sul), Chattanooga e Tri-Cities (ambas no Tennessee), Naples (Flórida) e Louisville (Kentucky).

A escolha desses locais, segundo o Uber, não tem relação com uma maior ocorrência de violência, mas na rapidez que essas cidades tiveram em treinar agentes e treinar o recurso. “O objetivo é implementar a funcionalidade em todos os mercados que o Uber atua”, disse Sachin Kansal, diretor de produto do Uber, ao TechCrunch.

Outro recurso de segurança anunciado pela empresa diz respeito ao compartilhamento de informações de corrida com contatos selecionados. Segundo um vídeo disponibilizado pelo Uber, uma pessoa poderá, por exemplo, configurar alguns contatos de confiança e compartilhar dados de viagens durante a noite.

As novidades, num primeiro momento, devem chegar apenas para os passageiros, mas existem planos para liberar recursos para os motoristas — o que seria particularmente interessante dado o número de vítimas de roubo e assassinato no mercado brasileiro.

Não existe ainda previsão para lançamento no Brasil nem do botão de emergência para os passageiros nem para os motoristas. No entanto, o Uber só informa que a expansão internacional deve começar durante o verão no hemisfério norte (entre junho e setembro).

É importante lembrar que o botão de emergência já existe na Índia há três anos. No país asiático, o recurso foi implementado após o registro de casos assédio e estupro de passageiras por motoristas. Dada a repercussão, autoridades locais, inclusive, sinalizaram com a possibilidade de banir o aplicativo na época.

[The Verge e TechCrunch]