Arqueólogos descobriram na cidade suíça de Saint-Ursanne uma bota de couro notavelmente bem preservada, que remonta à Idade Média.

Localizada no noroeste da Suíça, perto da fronteira com a França, a pitoresca cidade de Saint-Ursanne conseguiu manter muito de seu caráter medieval. Obras de construção para melhorar o sistema de esgoto da cidade começaram em 2016, resultando em uma série de descobertas arqueológicas. Em uma das descobertas mais marcantes, pesquisadores da Secretaria de Cultura de Jura (Jura é um dos cantões da Suíça) descobriram um fragmento de uma bota de bebê que remonta ao final do século 14, como relatado pelo jornal suíço The Local. A minúscula bota de couro caberia no pé de uma criança por volta dos 12 meses de idade.

desenho de uma bota. o desenho foi feito em preto e branco. a bota tem desenhos de folhas e flores no pé. na parte da frente do cano, três botões. o cano é feito de couro com uma textura quadriculada.Reconstituição artística da bota infantil. Ilustração: Secretaria de Cultura de Jura

O fragmento, juntamente com mais de uma centena de outras peças de couro, foi encontrado em uma depressão grande e úmida sob as ruas de paralelepípedos da cidade, de acordo com um comunicado da Secretaria de Cultura de Jura. Os úmidos depósitos permitem a preservação de materiais orgânicos encharcados, como couro e madeira. Os arqueólogos enviaram os fragmentos para Serge e Marquita Volk, do Museu do Calçado de Lausanne, para tratamento e classificação. Foi entre esses pedaços de couro que a botinha de bebê foi identificada.

O fragmento mede 17 centímetros de comprimento e 13 centímetros de largura. A parte superior da bota é feita de couro de cabra, enquanto a sola é feita de couro de vaca. A parte superior tem fechos feitos de botões de couro, “uma forma popular no final do século 14, embora raramente preservada”, de acordo com a Secretaria de Cultura de Jura. Esse tipo de calçado é excepcionalmente raro no registro arqueológico, com apenas cinco outros exemplos conhecidos — três encontrados em Londres e dois na Holanda.

Decorações com temas florais ainda podem ser vistas na peça, junto com uma série de padrões geométricos. A cor original da botinha não pôde ser determinada, já que o couro encharcado de água reverte para um marrom escuro.

Além das peças de couro, o trabalho no esgoto resultou na descoberta de elementos arquitetônicos, incluindo um “desenvolvimento particularmente complexo” que remonta à Idade Média. O objetivo da estrutura ainda não é conhecido, e as investigações estão em andamento.

Ultimamente, os esgotos têm sido bastante generosos para os arqueólogos. No final do ano passado, por exemplo, o trabalho no esgoto perto do rio Tâmisa levou pesquisadores do Museu de Arqueologia de Londres (MOLA) a descobrir um esqueleto masculino de 500 anos de idade usando botas de couro até a coxa. Em fevereiro deste ano, trabalhadores dinamarqueses tropeçaram em uma extraordinária espada medieval enquanto cavavam um esgoto. Às vezes, basta um pouco de escavação no lugar certo para encontrar coisas legais.

[Jura Office of Culture, The Local]