Há alguma coisa que atrai robôs a jogar pingue-pongue: este não é o primeiro que vemos, mas ele é diferente por aprender a jogar com humanos – para, no futuro, superá-los.

O braço robótico foi criado por uma equipe liderada por Katharina Muelling, da Universidade Técnica de Darmstadt, Alemanha.

Equipado com uma câmera, o robô assiste à mesa e acompanha o movimento da bolinha. Mas para reagir a ela, ele precisa de uma ajudinha de humanos.

Katharina o ensina a jogar com a raquete, segurando no seu braço como uma treinadora. E ele aprende bem: depois de uma hora de prática, ele devolveu a bolinha de forma certa 88% das vezes.

A parte mais importante – e mais promissora – do projeto: o robô é inteligente. Ele improvisa à medida que vai jogando, e não fica limitado ao que os humanos ensinaram.

E Katharina explica que isto abre as portas para robôs que realizam diversas tarefas depois que seus donos os ensinarem. Além das mesas de pingue-pongue, onde você gostaria de ver robôs adaptativos ganhando espaço no futuro? [New Scientist via Engadget]