Mark Zuckerberg, dono do Facebook, se pronunciou sobre o bloqueio do WhatsApp no Brasil – a rede social comprou a plataforma de mensagens no ano passado.

Zuckerberg diz que “este é um dia triste para o país”, por afetar mais de 100 milhões de usuários do WhatsApp no Brasil, e afirma:

Estou chocado que nossos esforços em proteger dados pessoais poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz. Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão.

Ele diz que o Facebook está “trabalhando duro para reverter essa situação”, e lembra: o Messenger continua funcionando. O próprio app também está com um aviso:

https://twitter.com/yntzl/status/677420337177448449

Jan Koum, cofundador do WhatsApp, também se pronunciou. Em sua página no Facebook, ele reprova a decisão da Justiça brasileira:

Estamos muito desapontados com a decisão míope de cortar o acesso ao WhatsApp, uma ferramenta de comunicação que muitos brasileiros dependem, e tristes de ver o Brasil se isolando do resto do mundo.

A decisão de bloquear o WhatsApp ganhou repercussão nesta quarta-feira. A partir da meia-noite desta quinta-feira (17), todas as operadoras cortaram o acesso ao aplicativo de mensagens, atendendo a uma determinação da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, em São Paulo. O app deve ficar fora do ar por 48 horas.

O TJ-SP não detalha o processo, pois o caso corre em sigilo de Justiça. No entanto, segundo o site Consultor Jurídico, a ação em questão tem relação com uma investigação sobre tráfico de drogas ligada ao PCC. A polícia pediu informações sobre usuários ao Facebook, que comprou o WhatsApp. Como não houve resposta, foi aberto um processo para suspensão temporária do WhatsApp.

Colaborou: Felipe Ventura. Atualizado às 08h35.

Foto por Eric Risberg/AP