por Thiago Simões

Em minha vida gamer, zerei diversos jogos. Perdi a conta. Atualmente, isso não basta: você tem que dissecar o jogo por inteiro. As conquistas e troféus estão presentes desde os tempos de Xbox 360 e PS3, respectivamente, e para conseguir 100% em um jogo é necessário ter dedicação, paciência e uma pitada de loucura. Creio que devo ter conseguido 100% em poucos jogos, mas o que mais me recordo é Call of Duty 4: Modern Warfare – fiquei 7 horas para conseguir minha última conquista no jogo, a de salvar o refém no avião.

O carioca Rafael Gerardo, de 31 anos, foi além: ele se tornou um apaixonado por zerar jogos e conquistas. “Quando peguei meu primeiro Xbox 360 e fui abrindo as primeiras conquistas, comecei a achar aquilo interessante. Era bacana porque envolvia objetivos dentro do jogo, mas ao mesmo tempo era uma ‘competição’ com todos os jogadores da LIVE. Criei pequenos objetivos, como fechar um jogo ou chegar a um determinado número de pontos. Tinha um cara na minha lista, com 35 mil pontos, e por um tempo meu objetivo era passar dele”.

Mas não pense que é apenas sentar e jogar: Rafael estipulou um planejamento para conquistar seus objetivos. Casado e com um filho, ele passou por imprevistos fora do controle e da telinha. “No meu antigo trabalho e antes do meu filho nascer, tive épocas em que dava para jogar mais de 8 horas por dia. Assim como eu passei um ano bem enrolado em que só conseguia jogar, nó máximo, umas 8 horas por mês. Atualmente, eu ando mantendo uma média de 2 a 4 horas por dia, durante a semana, fazendo algo por volta de 10.000G por mês”.

conquistas-xbox

Curiosidades

Quando Rafael passou a ser conhecido por suas conquistas dentro do Xbox, uma história começou a rondar os gamers. Sua gamertag era “Lu e Rafa” e muita gente ficava na dúvida se era uma pessoa ou duas que controlavam o perfil. Muitos achavam que, para conseguir o número de conquistas, era praticamente impossível um jogador fazê-las. Rafael acabava com a dúvida quando respondia: “Lú é como eu chamo minha esposa”.

Você já dormiu com o controle na mão? Olha, eu não me recordo disso, mas devido à loucura por conquistas, ele já passou por essa experiência. “Lembro que resolvi fazer um boost de Dark Sector. Acontece que enquanto uma das pessoas fazia as ‘kills’, as outras ficavam paradas por um bom tempo, o que tornava a situação monótona. Éramos um grupo de amigos, então fomos conversando bastante, para quebrar a chatice do boost. Mas, conforme as partidas iam se estendendo pela madrugada, eu acabei dormindo no meio delas. Lembro que acordei algumas horas depois, chamando o pessoal para ver se alguém ainda estava jogando, mas todo mundo já tinha ido dormir”. Rafael descobriu, no outro dia, que um dos que estavam no grupo do boost também havia dormido durante o jogo.

Nem tudo são flores

Durante todo este tempo buscando 100% nos games, Rafael já passou por maus bocados, como algumas conquistas difíceis de serem feitas, discussões com charlatões nas redes sociais e a vida dura de se manter longe da pirataria.

Entre os jogos mais complicados para conseguir 100% das conquistas, Rafael cita Blue Dragon, Stranglehold, Operation Darkness e Rock Band 2, mas nada considerado “impossível”, segundo ele.

O grande desafio era se manter na legalidade e ver os charlatões atuando: existem jogadores que burlam o sistema do console apenas para terem mais conquistas. A que ponto nós chegamos, não é? O mais difícil era ser taxado de louco na frente dos amigos por comprar jogos originais.

“Na geração passada eu até que me preocupava mais em fechar os jogos, para assim poder vender ou trocar logo por outro. Como nessa geração eu tenho comprado praticamente jogos digitais, tenho terminado pouca coisa. Mas mesmo assim, no total já completei mais de 430 jogos, o que me faz o brasileiro com mais games completos no Xbox, pelo menos por enquanto. Eu já me envolvi em muitas brigas e discussões por conta disso, mas hoje em dia, prefiro não perder meu tempo. Atualmente, temos o TrueAchievements, que é referência para quem curte conquistas, sendo o site mais respeitado e confiável do mundo quando falamos em rankings de Gamerscore”, ressalta Rafael.

Como a Microsoft nunca se importou muito em punir quem burlava as conquistas, o TrueAchievements (TA) criou uma equipe especializada em buscar e detectar essas gamertags, que acabam sendo removidas dos seus rankings ou até mesmo do site. O trabalho feito por eles foi tão bom que atualmente eles possuem um aplicativo dentro do Xbox One.

“Hoje eu prefiro deixar nas mãos do TA e adoto a ‘filosofia’ de que se não está nos rankings do TA, então não existe. Também tendo a olhar mais para as conquistas do Xbox One, que até onde eu sei, são imunes aos bugs”, completa Rafael.

conquistas-xbox-2

As travas de região e o Xbox de 2005

Como vocês sabem, o Xbox 360 possui trava de região, ou seja, para se divertir com certos jogos, era preciso ter um console europeu ou japonês. Para jogar mais ainda e ter mais conquistas no seu perfil, Rafael foi atrás destes modelos.

“Comprar esses consoles aqui no Brasil foi uma tarefa meio complicada, principalmente o Xbox japonês. Em 2011, vi um negócio com um preço razoável e comprei. Acontece que ele estava anunciado como sendo de 2007, mas quando chegou, era um launch, de 2005. Como estava difícil de conseguir uma edição japonesa, acabei ficando com ele assim mesmo. Acho que sou uma das poucas pessoas do mundo com um Xbox 360 launch, prestes a completar 10 anos de vida e em pleno funcionamento – pelo menos, funcionava da última vez que liguei”, afirma Rafael.

Conquistas reais

Rafael já ganhou prêmios por suas conquistas, como games e acessórios; mas sua maior conquista, como ele mesmo diz, foi ter sido convidado pela Microsoft para a chegada do Xbox One. “Ser convidado pela Microsoft para participar da festa de lançamento do console, no Brasil, foi uma experiência muito legal, principalmente porque dava para ver que a maioria dos convidados era gente da imprensa de games. Acredito que eu era um dos poucos que estava lá simplesmente por jogar videogame”, falou Rafael.

Como disse mais acima, Rafael é casado e possui um filho, e ele se considera um cara sortudo. “Nos primeiros anos de ‘conquisteiro’, minha esposa me assistia jogar, acompanhava guias de conquistas, cantava no Rock Band e até mesmo jogava um jogo de vez em quando. Depois que nosso filho nasceu, ela ainda me vê jogar.”

Outro fato engraçado é explicar para a mãe dele o que significam as conquistas. “Ela insiste que eu sou campeão do Xbox”.

gamerscore

No topo

No dia 21 de maio, Rafael chegou na primeira colocação brasileira em GamerScore e a 9ª mundial nos jogos de Xbox One. Mas não pense que isso saciou sua fome. “Continuo criando objetivos e estou sempre tentando alcançá-los. Este ano, por exemplo, quero chegar aos 700 mil pontos de Gamerscore total, aos 200 mil no Xbox One e quem sabe atingir o 5º lugar mundial”.

divisoriagizmodo

Thiago Simões é comentarista de futebol e hóquei no gelo na ESPN, e toda semana ele falará de games em sua coluna para o Gizmodo Brasil. Siga o Thiago no Twitter.

Primeira foto por Ben Andreas Harding/Flickr