Foi assim que o Secretário de Defesa William J. Lynn III descreveu o ocorrido em um artigo publicado hoje, com a esperança de que mostrar como informações perigosas correm riscos e como aumentar a segurança dos computadores deve ser levado como parte da segurança nacional. Oficiais do Pentágono disseram que é a primeira divulgação oficial sobre brechas de segurança na rede de computadores dos militares usada por inteligências de outras nações.

Um oficial militar, anonimamente, explicou a importância de manter essas redes seguras:

É por meio dela que nós ordenamos os movimentos de quem está na guerra. Se você estiver dentro, é possível mudar as ordens. Se quiser, você pode dizer “vire à esquerda” ao invés de “vire à direita”. Você pode dizer “vá para cima” em vez de “vá para baixo”.

De acordo com o artigo, o código malicioso foi carregado em um laptop militar no Oriente Médio e se espalhou sem ser notado por redes confidenciais e não confidenciais, esperando silenciosamente para enviar informações importantes para servidores estrangeiros. A brecha fez o Departamento de Defesa dos EUA proibir totalmente o uso de pen drives em 2008, medida que já foi alterada. [WaPo]

Crédito da imagem: Departamento de Defesa dos EUA