Em vez de desenvolver algum esquema eletrônico para obter dados de cartão ou criar um golpe online, um caixa no Japão usou a ferramenta mais indetectável possível para roubar dados de mais de 1.300 consumidores: sua memória fotográfica.

Yusuke Taniguchi, um trabalhador de meio período no caixa de um shopping de Koto City, aparentemente nasceu com uma memória de fazer inveja a todos nós que, geralmente, não conseguimos nem lembrar direito nossas senhas.

Existe um debate se Taniguchi tem uma boa memória fotográfica, o que permitiria que ele se lembrasse após alguns meses de números com os quais entrou em contato, ou uma memória eidética, que permite que informações sejam recuperadas com precisão alguns minutos depois, dado que ele manteve um caderno com todas as informações.

O que é certo é que, no tempo que levou para pegar dinheiro dos clientes, Taniguchi conseguiu memorizar o nome, número do cartão de crédito, data de validade e código de segurança para usar em diversas compras.

De acordo com o SoraNews 24, a polícia informa que Tanighuchi admitiu usar informações fraudulentas de cartão de crédito para comprar bens que ele, posteriormente, vendeu em casas de penhor para cobrir suas despesas de moradia.

O esquema pode parecer daqueles que apenas um gênio poderia realizar, mas aparentemente a proeza mental acima da média de Taniguchi estava limitada à sua memória.

Além do caderno, que permitiu que a polícia o associasse com uma série de operações, ele também enviava os produtos diretamente para o seu apartamento, e foi assim que a polícia conseguiu prendê-lo depois que ele comprou uma shoulder bag (bolsas laterais que se têm usado bastante atualmente) no valor de US$ 2.500, que ele ia vender em uma loja de penhores.

O golpe, se é que podemos chamar disso, é uma boa lembrança para ficarmos espertos em proteger nossos dados de cartão de crédito durante operações financeiras. Recursos como “tocar para pagar” ajudam a esconder as informações de cartão de espertinhos. No entanto, a melhor coisa a se fazer é monitorar o histórico de compras para garantir que você não seja vítima de roubo.