A greve dos caminhoneiros paralisou serviços como o fornecimento de combustíveis e distribuição de alimentos e insumos médicos, levando o país à beira do colapso. Os reflexos foram (e ainda são) palpáveis na economia brasileira e também no modo como a população encarou os dez dias de protestos pelos altos preços da gasolina.

A Caloi, no entanto, enxergou no conturbado momento a possibilidade de passar ao público uma mensagem sobre a importância do uso das bicicletas como elemento de contribuição à mobilidade urbana.

Com “Litros”, campanha criada pela agência Tribal São Paulo, a marca encontrou não apenas uma maneira de mostrar como o ciclismo é uma opção viável, sustentável e econômica para transporte, mas também um momento perfeito para impactar as pessoas. Afinal, quem não se lembra das filas quilométricas nos postos de combustível, e dias depois, na completa escassez de gasolina, álcool e diesel, consequentemente, impedindo milhões de pessoas de se locomoverem – pelo menos do modo em que elas estavam acostumadas. E essa foi justamente a sacada da Caloi.

A marca transformou o valor de algumas de suas bikes mais vendidas em litros de gasolina, questionando o uso de carros na cidade e demonstrando racionalmente a relação custo-benefício na mobilidade urbana. Ou seja, a população conseguiu comparar os reais que poderiam ser gastos com uma nova bicicleta em vez de combustível. A conversão dos preços das bicicletas em litros de gasolina foi baseada em dados coletados via Waze e eram atualizados em tempo real.

“Existem vários benefícios que o uso de uma bicicleta proporciona: colabora com o meio ambiente porque não polui, é uma atividade que auxilia a saúde física e mental e ainda, em momentos de crise, pode ser um fator diferencial no orçamento. É por isso que as bicicletas são tão populares em muitos países europeus e asiáticos, mas ainda nem tanto no Brasil. Essa campanha busca chamar a atenção de que a pedalada é uma das melhores soluções de mobilidade do País, ainda mais integrada a outras opções como metrô e trens, por exemplo”, destaca Eduardo Rocha, diretor de marketing da Caloi.