Há muita formas insanamente rápidas de capturar imagens, mas engenheiros de um laboratório na UCLA criaram a câmera 2D contínua mais rápida do mundo. Ela é tão rápida que pode tirar 36,7 milhões de fotos por segundo – e revolucionar como descobrimos células afetadas pelo câncer.

A câmera faz parte de um equipamento com microscópio, e usa um processo chamado STEAM (microscopia serial amplificada e codificada por tempo, na sigla em inglês). Este sistema usa lasers para criar imagens, e seu tempo de exposição é de apenas 27 picossegundos – portanto consegue capturar 36,7 milhões de quadros por segundo.

Isso até impressiona, mas… para que serve? No momento, a câmera está sendo usada para analisar células. Um fluxo de células passa por ela sob seu campo de visão a 4m/s, então a câmera consegue analisar 100.000 imagens por segundo. Isso é cem vezes mais rápido que qualquer outro microscópio.

A técnica requer que as células estejam em movimento para serem analisadas através do laser. Assim, milhões de células podem ser fotografadas e analisadas por computador para detectar anomalias. No laboratório, o sistema detectou no sangue até mesmo células de um câncer de mama bastante incomum, e com nível de erro extremamente baixo.

O fluxo das células fica limitado a 4m/s porque uma velocidade maior geraria uma pressão muito forte no dispositivo. Mas se elas andarem mais rápido, a câmera segue fotografando sem problemas – ela já está pronta para o futuro. O estudo completo está disponível no link a seguir: [PNAS via PopSci]

Imagem por Jezper/Shutterstock