Minha mãe sempre me disse: jamais discuta sobre futebol, política, religião. A vida quis que eu me tornasse comentarista de futebol e você já deve imaginar o que eu escuto diariamente. Na religião, eu já dei meus pitacos e, na política, é melhor deixar a discussão de lado, principalmente, no tempo turbulento que vivemos.

Outro dia, estava dando uma olhada no Correio Braziliense e percebi algo bem interessante para transformar em uma pauta. Quem aqui já jogou Super Trunfo quando era mais jovem? Creio que muitos de vocês, não é mesmo? Já tivemos diversas ramificações para esse jogo e fiquei imaginando a possibilidade de ser criado um Super Trunfo sobre política.

Mas onde é que entra minha “olhada no Correio Braziliense”? Foi por meio de uma matéria chamada “Quão excelentes são Vossas Excelências?” que apareceram umas imagens (gostaria de dar o crédito da arte, mas não estava escrito quem fez) bem interessantes para se fazer o jogo.

Cardgame de politicos

São tantos personagens interessantes – como Romário, Tiririca, Jean Wyllys e Jair Bolsonaro – que seria um cardgame muito interessante. Além disso, as artes não são tendenciosas, apenas apresentam informações pertinentes de cada um dos políticos no Congresso Nacional, como projetos propostos, votos, faltas, entre outros.

A ideia não é nova. Algumas empresas já se aventuraram nesta área, como um grupo de publicitários e programadores paulistas e do Distrito Federal que lançou, no período das eleições do ano passado, o site “Super Voto”, onde você podia comparar os parlamentares de todo o país:

Cardgame de politicos (2)

Vale deixar claro que a iniciativa não contou com dinheiro de nenhum candidato, segundo informaram os desenvolvedores.

Em 2006, criado pelos Stone Age Scanners, “Golpe – Super Trunfo dos Políticos Brasileiros” tomou conta das páginas de notícia voltadas para a política. O game segue o mesmo princípio do anterior – consequentemente, do Super Trunfo.

O melhor de tudo é que, apesar dos anos, ainda é possível jogá-lo. Basta acessar o site stoneagescanners.com/golpe e baixar as cartas para impressão. E fique tranquilo, pois como diz o site dos criadores, “o jogo está disponível sob a licença Creative Commons. Sua distribuição e uso não-comercial são livres, bem como os trabalhos derivativos, desde que citada a fonte original.”

Cardgame de politicos (3)

E aí, vamos jogar?

divisoriagizmodo

Thiago Simões é comentarista de futebol e hóquei no gelo na ESPN, e toda segunda-feira ele falará de games em sua coluna para o Gizmodo Brasil. Siga o Thiago no Twitter.

Foto por P. Alessandro Polito/Flickr